Apresentação dos candidatos à Assembleia Municipal da Batalha

Pedimos a cada um dos cabeças-de-lista que nos enviassem por email um texto sobre a função e compromisso que assumem na sua candidatura à Assembleia Municipal da Batalha. A ordem de publicação é aquela em que aparecerão nos boletins de voto à Assembleia Municipal.

 

PSD – A Batalha tem futuro
Júlio Órfão

A Assembleia Municipal constituída pelos representantes dos vários partidos eleitos é, porventura, o órgão autárquico mais abrangente, revestindo a sua acção extraordinária importância para o bom desempenho da actividade municipal, dada a inalienável competência no âmbito do seu acompanhamento e fiscalização.
Pelo facto de se tratar de um órgão não executivo, associado, porventura, a alguma desilusão em relação à prática política e aos políticos que a corporizam, nem sempre foi reconhecida a sua importância. Daí o desinteresse dos cidadãos, traduzido na fraca participação dos cidadãos nas reuniões.
É necessário procurar inverter esta situação, apostando na aproximação dos batalhenses, visando a sua efectiva colaboração na vida do nosso município.
Cumpre em primeiro lugar, desde logo, reforçar a confiança dos cidadãos nos seus eleitos, o que se consegue se, na actividade da Assembleia, emergirem e se reforçarem valores como a transparência, a competência, a tolerância e a disponibilidade para defender os interesses das populações “sem olhar a quem”. Serão estas, estou certo, as premissas necessárias para uma maior credibilização da Assembleia e da sua acção.
Será este o caminho que nos levará a uma Assembleia mais próxima dos cidadãos, qual casa da democracia local, onde através da prática de uma cidadania activa, possa haver lugar ao livre debate e confronto de ideias.
Acredito que, após o acto eleitoral, não obstante as esperadas, mas normais, divergências estratégicas, os objectivos para o Concelho serão partilhados por todos os deputados municipais, nomeadamente o seu desenvolvimento harmonioso, no qual as pessoas e a sua qualidade de vida assumam lugar privilegiado.

 

CDU – Trabalho, Honestidade, Competência
João Manuel Crachat

Trabalhar, respeitando escrupulosamente os princípios da honestidade, do trabalho e da competência, sempre em prol das populações. É este o nosso compromisso, e não com interesses económicos ou de grupo.
Trabalharemos para garantir a qualidade de vida, o emprego de qualidade, por via do apoio e fixação de actividades económicas e industriais e em áreas como o turismo, turismo rural, de paisagem, aventura, etc.
Defenderemos os bens públicos, a começar pela Água.
Lutaremos para que o concelho tenha uma rede de esgotos que ligue todas as habitações.
Defenderemos o mundo rural, os agricultores, a floresta, a paisagem e recursos naturais, exigiremos do poder Central e da Câmara Municipal os investimentos necessários.
Exigiremos mais apoios ao associativismo e às camadas mais vulneráveis da nossa população. Defendemos a criação de um pólo de apoio às colectividades na vila da Batalha, defenderemos o apoio à formação e à qualificação, à terceira idade e à juventude.
Defenderemos o alargamento, a qualidade e frequência dos transportes públicos e a requalificação a rede viária. Exigiremos soluções para melhorar a segurança no IC2, lutaremos pela utilização da A19 sem custos, defenderemos novas ligações ao IC9, na Freguesia de São Mamede e a sua ligação à A1.
Defendemos a criação de ciclovias nos percursos de maior utilização de bicicletas e medidas para controlar a poluição sonora e ambiental do IC2 na vila.
Defenderemos o direito à saúde, com a abertura do SAP no Centro de Saúde da Batalha, com melhorias nos serviços de saúde em São Mamede, Reguengo do Fetal e na Golpilheira, vamos agir para garantir que os serviços de saúde operem com um corpo clínico apropriado.

 

CDS – Batalha no Coração
Francisco Coutinho

Os Batalhenses conhecem-me e eu conheço-os na generalidade, não só pela minha actividade política – pois fui obreiro, entre outras coisa, da criação da freguesia da Golpilheira –, como também pela minha actividade profissional, empresarial e académica. Para além da minha prestação social e cívica, conheço o concelho da Batalha, a sua região e sei bem qual o anseio e as aspirações da população.
Assim sendo, o compromisso que assumirei na Assembleia Municipal passa, sobretudo e sempre, por ouvir as pessoas, visando o futuro e não perdendo mais tempo com o passado. A Assembleia Municipal tem de ser autónoma do executivo, não pode ser uma caixa de ressonância daquele, como tem acontecido nos últimos mandatos. O papel fiscalizador da Assembleia Municipal não se pode remeter à agenda de um qualquer executivo, ou da actividade daquele e das empresas municipais.
Estarei com os Batalhenses que comigo serão eleitos, mas sempre com o executivo, seja ele qual for, apoiando os reais e verdadeiros interesses para a região da Batalha.
Finalmente, cumprirei com as normas jurídicas que se estabelecerem e proporei reuniões descentralizadas para as freguesias, designadamente com conferências, definição de estratégias, tudo visando um desenvolvimento equilibrado e ordenado.
Proporei, de entre outros, a criação de grupos de trabalho específicos.
O primeiro terá por missão aprofundar a valia do Mosteiro da Batalha como Panteão Nacional. Tal objectivo visa trazer para aquele Panteão Nacional os restos mortais de Mouzinho de Albuquerque e do Capitão Salgueiro Maia. Cada um pelas suas razões históricas e específicas que os envolveram e que o cidadão comum saberá inferir. Deverão merecer este acolhimento da Batalha da Região e porque não dizer do País. Trata-se, por conseguinte, de um imperativo histórico Nacional.

 

PS – Batalha melhor
Fernando Oliveira

Qualquer deputado à Assembleia Municipal, porque eleito pelo voto popular, deve pautar a sua conduta de forma a prestigiar o órgão que integra e a respeitar aqueles que o elegeram, pugnando pela materialização dos interesses colectivos.
Deve igualmente respeitar todos os membros eleitos, independentemente da sua “família política”, e das naturais divergências daí resultantes, procurando os consensos possíveis em prol do desenvolvimento da nossa terra.
Procuraremos incentivar e valorizar a participação dos cidadãos nas reuniões da Assembleia Municipal, num exercício de cidadania activa, de forma a que possam expor as suas ideias para o concelho e a ver discutidos os seus problemas não defraudando as legítimas expectativas de cada um.
Assumimos o compromisso de trabalhar, incansavelmente, para que a Assembleia Municipal não seja apenas uma mera extensão do braço executivo camarário.
A Assembleia Municipal tem de ser um espaço de debate plural, onde todos possam apresentar ideias e projectos para a sua terra, discutindo-os sem quaisquer constrangimentos, pois só assim os interesses de todos os munícipes serão respeitados.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *