Observação de fauna e flora na Mata do Cerejal

No passado dia 25 de Julho, o Aves da Batalha voltou ao saudável ar do campo, desta vez com uma saída de observação de aves na Mata do Cerejal, nas Alcanadas. Este é, sem dúvida, um local mágico e repleto de natureza dentro de um concelho tão urbanizado, como é o da Batalha. Também o é para os locais, que anualmente organizam aí várias caminhadas, e para todos aqueles que vêm de fora para percorrer os seus trilhos.
Com um total de 12 participantes, entre os quais jovens curiosos, o passeio permitiu registar 34 espécies diferentes de aves. Apesar de o sol ter estado tímido, observámos vários chapins, pica-pau-malhado-grande, peto-real, os incríveis andorinhões-pálidos que nunca param de voar, e ainda milhafre-preto e peneireiro-cinzento. Mas a cereja no topo do bolo foi mesmo o aparecimento inesperado de dois juvenis de águia-calçada. A espécie tem sido registada no concelho nos últimos anos, mas sem qualquer registo que confirmasse a sua reprodução no concelho. Foi desta, e ainda por cima numa das saídas organizadas pelo grupo. Os dois jovens, de forma clara, proporcionaram momentos fantásticos e que certamente ficarão na memória de todos. Mais tarde acabou por chegar um dos pais com o pequeno-almoço nas garras.
Para além da avifauna, durante a caminhada foi ainda possível observar duas entradas de uma toca de texugos, várias espécies de flora autóctones, como por exemplo a gilbardeira (espécie protegida), uma cobra-de-pernas-tridáctila e indícios da presença de raposas. E para o tornar esta mata “encantada” ainda mais bonita e saudável, no âmbito do desafio por nós lançado, recolhemos todo o lixo que fomos encontrando pelo caminho. No final, o grupo conseguiu juntar quase dois sacos de lixo. As aves e todas as outras espécies ficarão muito agradecidas pelo nosso pequeno/grande esforço.
Foi mais uma bela manhã de conhecimento e monitorização de um dos recantos naturais mais bonitos do concelho. Só conhecendo a biodiversidade deste local é que se pode garantir a sua preservação e protecção.

João Tomás

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.