Vitrais para a Golpilheira

Vitrais para a Golpilheira

Votação de 14 de Março a 16 de Abril

Igreja da Golpilheira na corrida ao Orçamento Participativo

Tal como noticiámos anteriormente, a Câmara da Batalha voltou a disponibilizar este ano uma verba de 30 mil euros para o Orçamento Participativo, isto é, para o projecto apresentado pelos cidadãos que vier uma votação online, no sítio op.cm-batalha.pt.

Este é um meio de consultar e dar iniciativa aos cidadãos na decisão sobre o que consideram ser importante para o desenvolvimento local. Recordamos que os dois últimos projectos vencedores foram a recuperação da antiga Escola António Cândido da Encarnação e a pavimentação da antiga Estrada Real D. Maria, ambos na Batalha.

Neste ano, foram submetidas 24 propostas, das quais foram aprovadas 14, mais quatro do que no ano passado. O período de votação decorrerá de de 14 de Março a 16 de Abril, altura em que cada cidadão poderá registar-se na plataforma e escolher o seu projecto favorito. No final ficará a saber-se qual o vencedor, cabendo à Câmara executá-lo.

 

Vitrais para a Golpilheira

Os 14 projectos a concurso referem-se a diversas áreas, desde as estradas aos serviços de apoio social e respeitam a diversas freguesias ou à globalidade do concelho. Apenas um é exclusivamente para a freguesia da Golpilheira, com o título “Vitrais para Igreja de Nossa Senhora de Fátima”, inserido na área de “cultura, desporto e associativismo”. Trata-se de uma proposta orçada em 30.000 euros, o máximo do valor previsto, considerando-se que seria um apoio essencial para concretizar a fase final da restauração desta igreja, cujo custo total rondará os 50.000 euros.

Para dar a conhecer aos leitores o que se pretende, passamos a transcrever a justificação apresentada no portal (goo.gl/EEFbeI):

«A Igreja de Nossa Senhora de Fátima, na freguesia da Golpilheira, foi alvo de uma profunda remodelação este ano, sendo reinaugurada a 29 de Maio de 2016, numa celebração presidida pelo Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto. Além da mudança do telhado, todo o interior foi reestruturado, tornando este templo moderno, acolhedor e adequado às normas litúrgicas em vigor. O investimento total foi na ordem dos 350 mil euros, suportados em grande parte pelos donativos dos fiéis e entidades diversas, estando ainda em fase de liquidação cerca 1/4 desse valor.

«O resultado final tem sido por todos elogiado, com a ressalva de um elemento que viria completar a intervenção e dar ao espaço a sua identidade definitiva: os vitrais nos seus amplos vãos de entrada de luz. Já foram pedidos três orçamentos para este fim, rondando os 45.000 a 50.000 euros. A comunidade local poderá contribuir generosamente para esse fim, mas o valor resulta demasiado elevado para as possibilidade actuais, pelo que a dotação do orçamento participativo (30.000 euros) seria a resposta a esta necessidade.

«Além de ser um área integrada na cultura/associativismo, uma vez que tal obra contribuirá para o enriquecimento da população e do seu património, por via da acção da Comissão da Igreja, ela contribui ainda para o plano do turismo concelhio, pela beleza acrescida que traria a este templo. Sublinhamos, neste contexto, que esta igreja recebeu o altar e outras peças litúrgicas que serviram durante as últimas décadas na Basílica de Nossa Senhora do Rosário, no Santuário de Fátima, o que lhe veio dar um enorme valor patrimonial, artístico e potencialmente turístico.»

A concretização desta proposta dependerá dos votos que receber, estando nas mãos dos golpilheirenses e outros amigos votar e convencer outros a votarem, nomeadamente através da partilha da ligação nas redes sociais. Recordamos que os interessados deverão aceder ao sítio op.cm-batalha.pt, fazer um registo simples e rápido com o seu endereço de email ou perfil de facebook, escolher a proposta em causa e… votar. A partir do dia 14 de Março.

LMF

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.