>“Chamados à Caridade”

>“Chamados à Caridade”

>Carta de D. António Marto para o Ano Pastoral 2010-2011

Passa por toda a Carta Pastoral uma notável e singular síntese da fé cristã. D. António Marto centra o leitor no essencial da fé e daí tira as mais variadas e inquietantes conclusões para a diocese.
D. António começa por recordar o cenário do projecto pastoral diocesano, no qual é incluído o presente ano pastoral. Dedicado à “acção sócio-caritativa, este ano é apresentado como corolário dos anos anteriores, dedicados ao acolhimento, à vocação cristã e à revitalização da fé e corresponsabilidade na Igreja”.
Depois de definir a caridade cristã como “expressão do amor misericordioso e libertador de Deus, o sinal mais credível para dizer quem é Deus, Deus amor, e o que quer de nós”, D. António traça os 3 objectivos principais para o presente ano pastoral:
– redescobrir a caridade como forma (estilo) de ser da existência cristã, pessoal e comunitária
– desenvolver a espiritualidade da gratuidade, da disponibilidade, da partilha e do serviço
– repensar e reorganizar os serviços sócio-caritativos nas comunidades cristãs
Partindo de uma análise sucinta dos “rostos de pobreza no cenário do mundo actual” (sócio-económico, culturas e humano), o prelado conclui de forma contundente que “o problema central que atormenta a vida de muitos e da sociedade neste cenário é a falta de amor”. Esse o desafio que se lança à Igreja, e de modo particular à Igreja de Leiria-Fátima neste ano.
Sempre centrando a sua reflexão na Palavra de Deus, D. António recorda 3 paradigmas Bíblicos (lava-pés, bom samaritano e juízo universal), para concluir como a caridade, o amor cristão, é mais do que solidariedade ao justiça e se transforma em ” relação, doação e serviço de amor concreto a todo o ser humano necessitado de ajuda”. Uma “caridade de proximidade” que deve ser organizada, comprometer toda a comunidade cristã e que, por tudo isso, deve ter um rosto concreto e uma definição concreta. Neste sentido, D. António propõe que a caridade seja anunciada, celebrada e vivida, fazendo, para isso, algumas propostas concretas:
– sensibilizar, educar e formar os cristãos para a vivência e testemunho da caridade
– alimentar esta sensibilidade com um verdadeiro itinerário espiritual (escuta e meditação da Palavra, conversão de coração e fervor espiritual) para o que poderá ajudar o Retiro Popular
– incrementar um conjunto de acções concretas de relações pessoais, sinceras, acolhedoras e pacientes
– abrir os olhos e o coração para tomar consciência das pessoas que vivem em situação de necessidade (desafio a que as comunidades tracem um quadro o mais completo possível das diversas formas de pobreza e fragilidade).
– fazer com que a catequese (com especial relevo a preparação do crisma) proporcione a aprendizagem da capacidade de doação, partilha e serviço
– revitalizar a celebração da Eucaristia, nomeadamente o abraço da paz, o momento do ofertório e a Oração Eucarística
– incrementar o interesse pela cooperação missionária entre as igrejas, nomeadamente com a diocese do Sumbe, geminada com Leiria-Fátima
– avaliar e repensar o serviço sócio-caritativo diocesano (Cáritas, comissão justiça e paz, pastoral da saúde, pastoral da mobilidade)
– constituir grupos sócio-caritativos em todas as paróquias e incentivo ao trabalho em rede a nível das vigararias
– promover a experiência de voluntariado e boas vontades
– incentivar a formação cristã dos agentes da acção sócio-caritativa
– intervir junto das famílias para que, à luz do tema proposto, “reacendam o fogo da caridade que nelas existe”
– dinamizar o serviço de animação vocacional nas comunidades paroquiais
– acompanhar o Santuário e Fátima nas suas celebrações para que se torne “escola de caridade de serviço aos irmãos”.
D. António, como é seu apanágio, brinda-nos com uma carta pastoral que é uma verdadeira síntese da fé e que pode desde já suscitar um novo fulgor na caminhada espiritual da igreja de Leiria-Fátima. O desafio está lançado, restando a cada um o empenho e a dedicação para que dê fruto.
Padre Rui Ribeiro

Bispo convida à Assembleia Diocesana

A Assembleia Diocesana que marcará o início do ano pastoral 2010/2011 terá lugar no domingo 3 de Outubro, no Seminário Diocesano de Leiria. O Bispo D. António Marto publicou uma convocatória a todos os fiéis para esta celebração do Dia da Igreja Diocesana, para “em comunhão visível apresentarmos o programa do novo ano e damos-lhe início juntos”. O convite é sobretudo para os principais agentes pastorais, como membros dos conselhos pastorais, catequistas, ministros da comunhão, etc.

O programa será:

15h00 – Acolhimento, música e retrospectiva da caminhada diocesana;

16h00 – Tempo de convívio;

16h30 – Música e apresentação da nova Carta Pastoral do Senhor Bispo;

18h00 – Eucaristia na igreja do Seminário.

NOTA: Durante a manhã, no colégio da Cruz da Areia, realiza-se o encontro anual dos catequistas da Diocese.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.