>Feliz Natal de outro tempo

>Feliz Natal de outro tempo

>Sou uma avó de 60 e tal anos e no meu tempo não havia nada. Havia as filhós e íamos à missa, que era muito bonita. Beijava-se o Menino Jesus, cantava-se aqueles versos muito bonitos que toda a gente sabia… aquele “Alegrem-se os céus e a terra” que era tão bonito!
Trinta anos depois, no Natal dos meus filhos, pouco mais havia. Punha-se o sapato na lareira, para que o Menino Jesus fosse lá pôr alguma coisa. O Menino Jesus era tão pobrezinho que só punha no sapatinho aquilo que mais se precisava: uma peça de roupa e talvez um chocolate muito pequenino. E mesmo assim ficava tudo tão feliz!
No Natal de hoje, dos meus netos e de muita gente, gasta-se tanto dinheiro escusadamente, em coisas sem utilidade, brinquedos caros que eles só ligam naquela altura! No outro dia… já estão no caixote do lixo os do ano passado, coisas que custaram tanto dinheiro. É pena fazer-se assim, quando existem tantas crianças que não sabem o que é o Natal e que nunca receberam um brinquedo!
E com isto termino, desejando um feliz Ano Novo, cheio de paz e de muitas felicidades.
São os votos da avó,
Gracinda Monteiro

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.