>Paróquia da Batalha recebe Imagem de Fátima e visita pastoral de D. António Marto

>Paróquia da Batalha recebe Imagem de Fátima e visita pastoral de D. António Marto

>Com passagens marcadas também pela Golpilheira

A paróquia da Batalha prepara-se para viver dois momentos importantes na sua caminhada pastoral deste ano de 2008 que agora começa. Serão duas ocasiões para a celebração da fé e para uma renovação do espírito eclesial dos cristãos das nossas comunidades, em que a Golpilheira se insere. Serão, ao mesmo tempo, duas ocasiões propícias para o incremento da comunhão entre as pessoas e para colocar em prática a regra da hospitalidade que é tão característica das nossas gentes.

Visita da Imagem Peregrina De Nossa Senhora de Fátima
O primeiro destes momentos será a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que decorrerá de 17 a 24 de Fevereiro. É uma das várias réplicas da imagem do Santuário que percorrem o mundo inteiro, levando a Mensagem de Fátima a todos os povos.
É uma ocasião especial para os cristãos, não pela imagem em si, mas pelo que ela representa. Na verdade, ela não passa de uma estátua de madeira, obra de um artista humano, objecto de culto, é certo, mas material. O que ela significa, isso sim, é importante: lembra-nos a visita de Maria a três pequenos pastorinhos, há 90 anos, com uma mensagem que continua actual, pertinente, fundamental para cada pessoa e cada comunidade. É fácil deixarmo-nos comover pela vinda de uma imagem mariana tão “famosa”, sentirmos o peso da presença daquele andor, vindo de um santuário que atrai milhões de pessoas, e até rezarmos com fervor aos pés da figura da Virgem que é venerada nos lares da terra inteira. Mais difícil é escutar com atenção a Mensagem que ela traz consigo e, mais ainda, praticar na vida do dia-a-dia o pedido que Nossa Senhora deixou à humanidade: penitência e oração, perdão e paz, reconciliação e amor, a Deus e aos irmãos. No fundo, apenas o recordar da Mensagem universal de seu Filho, Jesus Cristo.
Por isso, será importante, sem dúvida, rezarmos com fé à Mãe de Deus e nossa mãe, caminharmos em procissão devota a acompanhar a imagem da Virgem, entregarmos-lhe com confiança a paz do mundo e dos nossos corações. Mas mais importante será recordarmos o fundamental da sua Mensagem em Fátima, aprofundarmos os meandros dessa revelação e fazermos o propósito, pessoal e comunitário, de emendarmos alguns passos menos certos e convertermos a nossa vida ao amor por Jesus Cristo e pelo próximo.
As ocasiões para isso serão várias. A imagem vai percorrer durante a semana os vários centros de culto, chegando ao final da tarde e permanecendo durante a noite e a manhã seguinte, sendo cada comunidade convidada a celebrar, a rezar e a viver os vários momentos das Aparições do Anjo e de Nossa Senhora, em momentos de oração, confissões e Missa, conforme cada uma programar.
O programa começa no dia 17, domingo, pelas 16h00, será a chegada da imagem à fronteira da paróquia no Celeiro. Aí será colocada num andor, num carro de comando dos Bombeiros Voluntários da Batalha, seguindo em cortejo lento para o centro da vila, acompanhada pelos ciclistas que queiram participar. A cerimónia do acolhimento será feita na praça do Município, de onde se iniciará a procissão a pé para o Mosteiro de Santa Maria da Vitória, para uma oração eucarística em que serão recordadas as Aparições do Anjo. Depois, a imagem seguirá para a igreja matriz, onde ficará até ao dia seguinte, havendo Missa e confissões a partir das 10h00 da manhã.
Na tarde do dia 18, pelas 18h00, está prevista a chegada da imagem ao centro dos Pinheiros, para uma breve oração daquela comunidade. Pelas 19h00, será a vez do acolhimento nos Casais dos Ledos, com procissão e celebração da 1ª Aparição de N.ª Senhora.
O programa dos dias seguinte será sensivelmente idêntico, com a chegada da imagem pelas 19h00, procissão e celebração, ficando para o dia seguinte, com a missa e confissões durante a manhã: no dia 19 chega à Quinta do Sobrado (2ª Aparição); no dia 20 às Brancas (3ª Aparição); no dia 21 a S. Bento, com procissão para a Golpilheira e celebração (4ª Aparição), no dia 22 à Faniqueira (5ª Aparição) e no dia 23 à Rebolaria (6ª Aparição).
No domingo, dia 24, pelas 10h30, far-se-á uma procissão a pé da Rebolaria para o Mosteiro da Batalha, onde será celebrada Missa de despedida e compromisso.

Visita de D. António Marto
Um ano depois de ter chegado à Diocese, o Bispo D. António Marto decidiu iniciar uma ronda de visitas pastorais por todas as paróquias, sob o lema “O Bispo faz-se sinal visível da presença de Cristo que visita o seu povo na paz”. Esta visita irá prolongar-se até 2012 e começará já este mês, precisamente na nossa vigararia: Juncal, de 31 de Janeiro a 3 de Fevereiro; Aljubarrota, de 14 a 17 de Fevereiro; Calvaria, de 7 a 10 de Fevereiro; Pedreiras, de 21 a 24 de Fevereiro; Batalha, de 27 de Fevereiro a 2 de Março; e Reguengo do Fetal, de 13 a 16 de Março.
Será o segundo momento importante para a nossa paróquia neste mês de Fevereiro, de que destacamos a celebração da Eucaristia na Golpilheira, no dia 28, quinta-feira, pelas 20h30.
Mais uma vez, como o próprio D. António faz questão de salientar, não se trata da figura do Bispo, embora seja com o todo o prazer e admiração que recebemos na nossa terra tão ilustre figura da nossa Igreja. O importante é perceber a mensagem que nos traz, como sinal da presença de Cristo nas nossas comunidades. Uma mensagem de perseverança na fé e fidelidade aos valores do Evangelho, de compromisso na vida comunitária e na missão, de empenho na descoberta da alegria da nossa vocação cristã.
Sobre as razões e objectivos desta visita, convidamos os leitores a descobri-los na carta de anúncio que o Bispo publicou e que deixamos na caixa ao lado.
Quanto ao programa, no dia 27, quarta-feira, pelas 15h00, chegará à paróquia e fará uma breve visita de “reconhecimento do território”. Às 17h00, dará uma entrevista na Rádio Batalha, onde terá oportunidade de esclarecer os ouvintes sobre a sua missão de Pastor e, mais concretamente, sobre esta visita à Batalha. Pelas 18h30, irá encontrar-se com os jovens que irão receber o sacramento do Crisma das suas mãos no domingo seguinte e, pelas 21h00, encontrar-se-á com todos os agentes pastorais, aqueles que mais directamente participação na animação dos vários grupos e movimentos da paróquias e seus centros de culto.
No dia seguinte, quinta-feira, pelas 15h00, fará uma visita às Casas Religiosas, pelas 17h30 terá um encontro com os professores das escolas da Batalha e, às 20h30, virá celebrar a Eucaristia na igreja da Golpilheira, seguindo-se um beberete de convívio formal com a população,
No dia 29, vai encontrar-se com os doentes e idosos, pelas 15h00, visitará o Hospital de Nossa Senhora da Conceição, nas Brancas, pelas 16h30, e reunirá com os autarcas, empresários e dirigentes associativos, pelas 17h30. Às 21h00, no Mosteiro, haverá a celebração de uma Vigília Vicarial Vocacional, para a qual os jovens são especialmente convidados a participar.
No sábado, dia 1 de Março, às 11h00, será o encontro com os catequizandos do 7º ao 10º ano e, às 15h00, com os do 1º ao 6º ano. Segue-se, pelas 16h30, um encontro com jovens e, às 18h00, outro encontro com as famílias.
No dia 2, domingo, às 11h00, será a celebração da Missa e do sacramento do Crisma, após o que nos despediremos do nosso Bispo.
Tanto neste programa, como no da visita da Imagem Peregrina, todos somos convidados a participar, comparecendo naquelas iniciativas que despertarem o nosso interesse, pois o objectivo é que cheguem ao coração de cada um dos paroquianos, para que aí frutifique a graça de Deus.

Luís Miguel Ferraz

Carta de anúncio da visita
Caríssimos Diocesanos,
Irmãos e irmãs no Senhor,
Decorrido um ano após o início do meu ministério episcopal nesta Igreja de Leiria-Fátima e tendo já encontrado, em diversas ocasiões, pessoas, grupos e comunidades, chegou agora o tempo de proceder à Visita Pastoral às paróquias da Diocese. É um dever do Bispo, enquanto pai e pastor da porção do povo de Deus confiada à sua solicitude, para aprofundar o conhecimento, a estima e a ajuda recíproca.
A Visita Pastoral não é, pois, um facto burocrático ou só celebrativo. “É um acontecimento de graça que reflecte, de algum modo, aquela tão especial e maravilhosa visita com a qual o supremo Pastor e Bispo das nossas almas, Jesus Cristo, visitou e redimiu o seu povo”(Directório do ministério pastoral dos bispos, 220) e continua a visitar-nos com o dom do Espírito Santo.
Continuador do ministério apostólico, o Bispo, princípio visível e fundamento da unidade da Igreja diocesana, realiza a visita com os sentimentos de Jesus, Bom Pastor, para anunciar o Seu Evangelho e confirmar os irmãos na fé. É o pai que se encontra com os filhos para os iluminar e encorajar, para promover a unidade e a comunhão em Cristo e na Igreja, e dar um novo impulso missionário.
Ao anunciar a Visita Pastoral, sinto o mesmo desejo do apóstolo Paulo, quando se propunha ir ao encontro dos cristãos: “Voltamos a fazer visita aos irmãos em todas as cidades em que anunciámos a Palavra do Senhor, para ver como estão” (Act 15,36); “Desejo ver-vos para vos comunicar algum dom espiritual a fim de que sejais reconfortados, ou melhor, para no meio de vós, me sentir reconfortado mediante a fé que temos em comum, vós e eu” (Rom 1,11).
Com esta carta anuncio oficialmente à Diocese a minha primeira Visita Pastoral que, com a graça de Deus, terá início em Janeiro de 2008 e se prolongará até 2012, de acordo com o calendário que será publicado.
A Visita Pastoral propõe-se os seguintes objectivos:
a) encorajar em todos um renovado encontro com Cristo que leve a redescobrir a beleza e a alegria da fé e da vocação cristã;
b) valorizar o sentido de co-responsabilidade do Povo de Deus, revitalizando os organismos de participação (conselho pastoral e conselho económico) e os ministérios nos vários sectores da pastoral;
c) promover a comunhão eclesial, intensificando o diálogo, a colaboração e a partilha, para fortalecer a experiência da fraternidade cristã na paróquia, na vigararia e na diocese.
d) avivar em todos os fiéis cristãos a consciência da missão, para que o dom da fé irradie na sociedade actual.
No cumprimento deste acto do meu ministério tenciono servir-me, de acordo com o cânone 396.2, da colaboração de alguns sacerdotes. Por isso, nomeio o Padre Jorge Guarda, Vigário Geral, como Coordenador da Visita Pastoral; e os Padres Manuel Armindo Janeiro, Director do Departamento de Património Cultural, e Bernardo Morganiça, Notário na Câmara Eclesiástica, como Examinadores do estado do Arquivo paroquial.
Convido todos os Diocesanos, a empenharem-se na preparação e realização da Visita, segundo a orientação dos sacerdotes nomeados, dos párocos e outros animadores.
Confio o bom êxito desta Visita à intercessão dos nossos padroeiros, Nossa Senhora de Fátima e Santo Agostinho, e também dos Beatos Francisco e Jacinta Marto.
O Senhor conceda à nossa Igreja revitalizar-se na fé, crescer na comunhão e testemunhar com entusiasmo, a quantos vivem no nosso território, a Sua Ternura e a Sua Misericórdia.
† António Marto, Bispo de Leiria-Fátima

Vigararia prepara visita pastoral com “Lectio Divina”
Uma das iniciativas levadas a efeito para preparar a recepção ao Pastor, a nível vicarial, é a formação de grupos para a “Lectio Divina”, sessões de leitura e reflexão da Palavra de Deus. Essa foi uma das propostas concretas da carta episcopal às comunidades sobre esta mesma visita, para que o contacto com a Palavra de Deus ajude cada um dos diocesanos a “um renovado encontro com Cristo, que lhes possibilite redescobrir a beleza e a alegria da fé e da vocação cristã”, pois é esse o primeiro objectivo.
E como é fazendo que se aprende a fazer, cerca de 60 pessoas, incluindo os vários párocos, reuniram-se por duas vezes para eles próprios fazerem a experiência de leitura, meditação e partilha de um texto bíblico, para poderem depois orientar os grupos em cada comunidade. Isto porque, a partir destas sessões, pretende-se que a “Lectio Divina” se realize em pequenos grupos, tendo sido proposto um percurso de cinco temas. Como testemunharam vários dos presentes, essa experiência está já a ser feita em algumas comunidades da vigararia, tendo sido referido que “é uma experiência nova para muita gente e que tem despertado o interesse, até em pessoas normalmente afastadas da vida religiosa da paróquia”.
No passado dia 7 de Janeiro, realizou-se o segundo destes encontros, que, tal como o primeiro, foi presidido pelo Bispo e contou com a dinamização do padre Jorge Guarda, vigário-geral, e do padre Gonçalo Diniz, especialista em Bíblia. D. António Marto fez uma reflexão sobre a missão do cristão na Igreja e no mundo actual, partindo da leitura do texto bíblico em que Jesus compara o Reino de Deus a uma vinha, para a qual o patrão recruta trabalhadores, uns chamados de manhã, outros ao meio-dia, outros às três e outros às cindo da tarde. “Jesus quer dizer-nos que o seu convite para a missão continua a ser feito hoje com a mesma actualidade de sempre e que os chamados da última hora são tão importantes como os da primeira, porque todos são filhos amados de Deus”, lembrou o Pastor. E o prelado adiantou ainda que o texto é também “um desafio a irmos ao encontro dos que normalmente são esquecidos, dos que não pertencem aos grupos regulares da paróquia, mesmo dos que estão fora e criticam a Igreja e os cristãos, pois é também a esses que Cristo nos envia a sermos portadores do convite a vir trabalhar para a vinha do Senhor”.
LMF


Oração pela visita pastoral

Senhor Jesus, Tu és o Caminho, a Verdade e a Vida!
Tu vives e estás presente na Tua Igreja:
nela infundes o Espírito e fazes ressoar a Palavra;
difundes dons e carismas e confias missões;
através dela irradias para todos os homens
a Tua luz e a Tua força, o Teu amor e a Tua paz.
Somos nós a Tua Igreja, que agora visitas através do Bispo.
Faz com que recebamos esta Visita Pastoral como uma graça
que ofereces à nossa comunidade:
para reavivar a fé adormecida e renovar a vida cristã;
suscitar a alegria da comunhão a libertar-nos do medo;
encorajar-nos nas dificuldades e superarmos as divisões;
e darmos testemunho alegre e corajoso do Evangelho!
Nós Te pedimos pelos méritos da Tua Cruz redentora,
e por intercessão de Maria, Tua e nossa Mãe.
Que ela nos acompanhe e guie na descoberta da Tua Palavra
e na contemplação do Teu rosto, agora e sempre.
Ámen!

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.