>Livros – Abril 2008

>Livros – Abril 2008

>A Loja dos Suicídios
Jean Teulé
Guerra & Paz
«É uma lojinha onde nunca entra um raio de Sol». Imagine um negócio de família que envolve a venda de todos os ingredientes possíveis para a prática do suicídio, nas suas mais diversas formas. Corda, pistolas, facas, venenos e toda uma panóplia de produtos mortíferos. São cinco as personagens que compõem esta família atípica que gere a loja há várias gerações: os pais, profissionais, comerciantes; o filho primogénito, deprimido crónico, mas extremamente criativo no seu domínio; a irmã, exemplo típico da adolescente inadaptada; e finalmente o irmão mais novo, verdadeiro grão de areia na engrenagem deste comércio lúgubre: é que ele se atreve a sorrir e a ser… optimista.
Com uma ambiência digna de um filme de Tim Burton, A Loja dos Suicídios é uma comédia negra futurista, que invoca o grande adversário da família Tuvache e do seu sinistro empreendimento: a alegria de viver.
Homem de múltiplas facetas, o autor francês Jean Teulé começou pela banda desenhada, enveredou pelo universo do pequeno ecrã, mas revela ser a escrita o que o preenche, tendo publicado diversos romances, alguns já adaptados ao cinema. Quando pesquisava a vida de Verlaine, descobriu a existência de uma revista chamada «A Loja dos Suicídios», fundada por um grupo de poetas do século XIX, que acabou por inspirar este romance.

Todas Se Apaixonam Por Mim
José Pinto Carneiro
Guerra & Paz
Chega sempre a altura de um homem assentar. Há diversas formas de isso se fazer, mas Júlio optou pela mais complicada. Não tinha alternativa – consciente da importância do Amor na vida de qualquer um e aparentemente desprovido da capacidade de o conceder, só lhe restava capitalizar o que por ele nutriam todas as mulheres que conhece. É que todas se apaixonam por ele. Para não desapontar nem ser injusto para com nenhuma, resolve dar-lhes o que de mais precioso tem. A todas, em simultâneo.
Ora, acontece que também chega sempre a altura de uma mulher assentar. E o nosso herói, não obstante passar o dia a pensar em mulheres, é dos que não as releva o suficiente para as tentar realmente perceber. Circunstância, está provado, susceptível de causar problemas e prejuízo.
Esta é, assim, uma esfuziante história de coragem, arrojo, generosidade e parvoíce. Consta que é uma comédia. Coisa rara na literatura portuguesa.
A ler, em caso de identificação, e no caso contrário…
José Pinto Carneiro estreou-se nas letras em 1994, tendo já publicado várias obras de sucesso. Licenciado em Ciências Jurídicas, tornou-se guionista de programas de TV, sendo um dos seus trabalhos recentes a nova versão da telenovela Vila Faia.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.