>Meninas da Golpilheira “limpam” mais uma Super-Taça do Distrito de Leiria

>Meninas da Golpilheira “limpam” mais uma Super-Taça do Distrito de Leiria

>Futsal Seniores Femininos (Golpilheira – 4 / Vidais – 3)

Tarde de sol. Equipa muito bem disposta. Este jogo era encarado com alguma apreensão, já que a equipa adversária é de respeito. Apesar de nunca nos terem ganho, esperávamos que também não fosse desta vez. No entanto, confiamos plenamente na nossa equipa técnica e atletas da Golpilheira para erguer mais um troféu.
O palco escolhido foi o pavilhão do Bombarral, onde estiveram frente a frente as duas melhores equipas da época passada. Vencedora do campeonato e da taça distrital e segunda classificada e vencida da taça distrital, Golpilheira e Vidais, respectivamente. Previa-se um jogo bastante equilibrado, em que qualquer uma das equipas podia vencer. Jogadoras que se conhecem mutuamente, sabem muito bem que quem cometer o menor número de deslizes, vencerá. É a disputa de um troféu onde tudo tem de decidir-se num só jogo.
Começou melhor a Golpilheira, com Rita Eusébio, quase de seguida, a marcar o primeiro e o segundo golos. Até aqui, praticamente deu só Golpilheira. As atletas dos Vidais entraram mais nervosas, falhando imensos passes, o que não é normal. No entanto, na primeira oportunidade que tiveram, reduziram a desvantagem. A Golpilheira, não acusou muito este golo, continuou o controlar o jogo. Numa situação de rara oportunidade, Jéssica Pedreiras fez o 3-1. Estávamos perto do final da primeira parte. Teresa Jordão pediu um desconto de tempo, talvez para aconselhar as suas jogadoras a segurarem a bola, porque era muito importante ir para o intervalo a vencer por 3-1. No entanto, faltavam poucos segundos para o intervalo, quando com um remate de longe, inesperado mas violento, uma atleta dos Vidais reduz para 3-2. Claro que com este golo a moral da equipa dos Vidais subiu, pelo que se previa uma segunda parte difícil para a Golpilheira.
Com a desvantagem de um golo, competia à equipa dos Vidais ir à procura pelo menos do empate. Bem o tentaram, mas a Golpilheira também não lhes dava muitos espaços. Mas tanto insistiram até que conseguiram colocar o resultado em 3-3, já perto do final do jogo. Caso continuasse o empate, o prolongamento era o caminho a seguir. E se não se resolvesse no prolongamento, grandes penalidades.
A segunda parte terminou sem que o resultado se alterasse. Fomos para o prolongamento. Duas partes de cinco minutos. Este troféu ficou decidido logo na primeira parte do prolongamento. Numa boa jogada de insistência, Inês Cruz marcou o nosso quarto golo, colocando o resultado em 4-3. Daqui até ao final foi suster a reacção da equipa dos Vidais, concentrando-se cada vez mais na posse de bola.
Apito final do árbitro, com mais um troféu conquistado por esta nossa brilhante equipa, para já o primeiro desta época. Esperamos que outros se sigam. Os apoiantes da Golpilheira não foram muitos, mas foram bons, nunca se cansando de apoiar a equipa. Para a equipa dos Vidais, o nosso apreço: foram dignas vencidas e tenho a certeza de que, com um pouco mais de experiência, chegarão em breve também aos títulos.

Campeonato
Esta equipa começou muito bem a defesa do título. No primeiro jogo, uma deslocação sempre difícil à Pocariça, que levámos de vencida por 3-0, com um golo de Licas na primeira parte e dois de Irina na segunda.
No segundo encontro, em casa, vencemos a equipa do Amarense por 8-1. Após o apito inicial do árbitro, viu-se logo que o propósito da equipa adversária era o de perder pelo menor número de golos possível. Abdicando de atacar, dificultaram ao máximo a obtenção do primeiro golo, que surgiu por intermédio de Carolina. Rita Eusébio marcou o segundo golo, fixando o resultado da primeira parte em 2-0.
No segundo tempo, a equipa do Amarense abriu-se um pouco mais, tornando mais fácil a marcação de golos pela nossa equipa. Irina e Rita marcaram o terceiro e o quarto golos. O Amarense ainda reduziu para quatro a um. No entanto, até final do jogo ainda conseguimos mais quatro golos, por Jéssica Pedreiras, Rita Eusébio, Irina e Rita, a fechar a contagem em 8-1. De salientar a estreia de duas jogadoras neste encontro: Joana e Rita. Para o próximo fim-de-semana há taça distrital. Ficámos isentos, razão pela qual não jogamos.
Manuel Carreira Rito

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.