Campanha “Sécur’été 2012” já rola

Campanha “Sécur’été 2012” já rola

Fotos: Cap Magellan

Jornal da Golpilheira apoia Cap Magellan

A Cap Magellan organizou uma conferência de imprensa de apresentação da campanha “Sécur’été 2012”, no dia 6 deste mês, Consulado Geral de Portugal em Paris, com a presença de José Carlos Malato, o “padrinho” deste ano.
Como referimos na passada edição, trata-se do 10.º ano desta campanha de dirigida aos portugueses e luso-descendentes residentes em França, que se deslocam de carro a Portugal durante as férias de Verão. Decorre em três países – França, Espanha e Portugal – e tem como principal objectivo a redução do número de acidentes durante os trajectos longos e depois das saídas nocturnas.
Entre as medidas defendidas, procura-se sensibilizar o público para os perigos das viagens longas (fadiga, excesso de velocidade…) e para as precauções a ter (preparação do veículo, parar de 2 em 2 horas para descansar…). Há ainda a informação aos automobilistas sobre os códigos da estrada dos países atravessados (velocidades autorizadas, álcool, coletes reflectores…). Por último, são alertados os jovens para os perigos da condução sob efeito do consumo de álcool e/ou de drogas, nomeadamente durante as saídas nocturnas.
Como habitual, seguiu-se nessa noite o arranque oficial da campanha, na discoteca La Costa. Foi uma ocasião de convívio entre os lusófonos e também de sensibilização para os objectivos da campanha, com distribuição de testes de alcoolemia no fim da noite, bem como o “Guia do Verão 2012” editado anualmente.

A caminho de Portugal

De 27 de Julho a 1 de Agosto, decorre a fase da campanha nas estradas entre França e Portugal. Vários voluntários e membros da equipa da Cap Magellan desenvolverão acções de sensibilização junto dos automobilistas em várias estações de serviço e nas fronteiras, também com a colaboração da associação “Chama”, de Estrasburgo.
Em França, o último fim-de-semana deste mês é anunciado como “negro” em termos de tráfego rodoviário com destino ao Sul do país, nomeadamente, à fronteira com a Espanha. A campanha estará presente nas fronteiras de Vila Verde da Raia e Valença, nos dias 28 e 29 de Julho, das 09h00 às 17h00, e em Vilar Formoso no mesmo período e ainda no dia 30. Nesta última, no dia 29, pelas 11h00, está agendada a visita do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário.
Luís Miguel Ferraz

Agenda em Portugal

Durante as duas primeiras semanas de Agosto, a Cap Magellan continuará a sua campanha, durante o dia, em locais de forte presença de emigrantes portugueses, e durante a noite, à saída de várias discotecas. As principais datas são as seguintes:
– 26 de Julho: acção logística em Viana do Castelo
– 27 de Julho: acção logística em Chaves e Fafe
– 28 e 29 de Julho: Fronteiras Valença, Vila Verde Raia, V. Formoso
– 30 de Julho: Guarda, V. Formoso, Almeida e Fig. Castelo Rodrigo
– 3 de Agosto: Praias e zona Centro Litoral (Peniche, Óbidos…)
– Noite de 3 de Agosto: Bares da praça histórica de Guimarães (Encontro Europeu de Jovens Luso-descendentes)
– 4 de Agosto: Zona Centro (Batalha, Alcobaça, Nazaré) ou Coimbra
– 5 de Agosto: Praias Centro (S. Pedro Moel, Vieira Leiria, Pedrógão)
– 10 de Agosto: Figueira da Foz
– Noite de 10 de Agosto: Discoteca Looks – Chaves
– 11 de Agosto: Praias (S. Pedro Moel, Vieira Leiria, Pedrógão)
– 12 de Agosto: Fátima
– Noite de 13 de Agosto: Discoteca Lagars – Braga
– Noite de 14 de Agosto: Discoteca Palace Kiay – Pombal
– Noite de 14 de Agosto: Discoteca Platz – Chaves
– Noite de 17 de Agosto: Discoteca The Club – Fafe

Entrevista a José Carlos Malato

“Há muitas maneiras de ter adrenalina sem pormos a nossa vida e a dos outros em risco”

José Carlos Malato é dos mais conhecidos apresentadores de televisão portugueses. Aceitou o convite da Cap Magellan para ser padrinho da campanha de segurança rodoviária 2012 e esteve presente no seu lançamento, em Paris. Nessa ocasião deu uma entrevista à equipa organizadora, de que publicamos em seguida alguns excertos.

O que o fez aceitar o convite para apadrinhar a campanha “Sécur’été” deste ano?
Conheci a Cap Magellan através do seu presidente, Hermano Sanches Ruivo, quando apresentava o Portugal no Coração na RTP, já lá vão alguns aninhos. A Associação passou a ser o nosso principal interlocutor sempre que vínhamos a Paris – por representar e defender muito bem a comunidade portuguesa em França – e criámos uma amizade que já ultrapassou o campo estritamente profissional. Essa é uma das motivações que me fez aceitar este convite, que muito me honra, aliado ao facto de me preocupar muito o número de vidas que se perdem nas estradas portuguesas, nomeadamente, de emigrantes que se deslocam ao nosso país nesta altura de férias.

Enquanto apresentador televisivo bastante famoso em Portugal e nas comunidades portuguesas, acha que ser a figura desta campanha terá um efeito positivo?
Eu quero acreditar que sim! A minha posição privilegiada nos meios de comunicação permite-me ampliar certas medidas preventivas que considero elementares para quem conduz e que são, no fundo, as preocupações de todos nós. No entanto, muitas vezes pensamos que o mal só acontece aos outros e temos tendência a diminuir cuidados e atenção. O entusiasmo de chegar também concorre para que se descurem certos pormenores que são vitais para a segurança na estrada. Acredito que tudo vai correr melhor este ano.

Quais as precauções que adopta normalmente ao volante?
Para além das questões mais técnicas – revisão do carro dentro dos prazos, atenção especial aos pneus, luzes e travões – tento não carregar no acelerador. Ando cada vez mais devagar! A velocidade é a principal causa dos acidentes, aliada ao cansaço, ao consumo de álcool, ao mau estado e ao mau desenho de algumas estradas. Se andarmos mais devagar, temos mais tempo de reacção a alguma situação inesperada.

Que conselhos pode dar aos outros condutores e sobretudo aos jovens?
A vida, em geral, é uma corrida, ou melhor, uma correria. A velocidade dá muita adrenalina e os jovens gostam disso. Nesta vertigem do mundo em que vivemos é difícil abrandar, mas se não o fizermos podemos sofrer acidentes e ter deixar a corrida a meio. E arrastar connosco os que mais gostamos num grande sofrimento. Há muitas maneiras de ter adrenalina sem pormos a nossa vida e a dos outros em risco!

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.