“Radiografia” do Mosteiro foi o centro das atenções no Dia do Município

“Radiografia” do Mosteiro foi o centro das atenções no Dia do Município

PUB
Ad 13

 

O hastear das bandeiras, nos Paços do Concelho, pelas 10h00, foi o sinal de abertura de mais uma comemoração do feriado municipal de 14 de Agosto.

A comitiva de convidados e algumas dezenas de populares rumou, de seguida, ao Posto de Turismo da Vila, para a inauguração da exposição “Investigação e Inovação no Património”, que mostra em painéis o resumo do estudo geofísico efectuado no Mosteiro da Batalha por uma equipa das universidades de Aveiro e do Porto e do Instituto Politécnico de Leiria.

A apresentação esteve a cargo do coordenador desta equipa, Manuel Senos Matias, que levou o mesmo tema à abertura da sessão solene, já nas Capelas Imperfeitas. O docente da Universidade de Aveiro revelou algumas das conclusões do trabalho efectuado, resumido no livro “Anatomia de um Mosteiro – Estudo Geofísico do Mosteiro da Batalha”, também apresentado nesta ocasião. Comparando esse trabalho ao “raio x” usado na medicina, explicou como é hoje possível saber o que existe no subsolo, nas fundações e dentro das paredes e colunas do monumento. O método consistiu em fazer passar ondas eléctricas, magnéticas, sísmicas e de radar através da construção, “uma maneira não invasiva de ver como está assente e como é constituída”. É, assim, possível registar conhecimento científico sobre o monumento e, ao mesmo tempo, identificar eventuais problemas de solidez que a estrutura possa apresentar.

 

Medalhas de mérito

Num segundo momento da sessão solene, foram atribuídas medalhas de mérito a diversas instituições e personalidades,  cuja acção contribui para o desenvolvimento cultural, social, desportivo e associativo do Concelho. Assim, foi entregue a Medalha de Mérito Municipal Grau Ouro a António Lucas, ex-presidente da Câmara Municipal e actual presidente da Assembleia Municipal, e a Medalha de Mérito Municipal Grau Prata à ACILIS – Associação Comercial de Leiria, Porto de Mós e Batalha, ao Orfeão de Leiria – Conservatório de Artes e à ANAFRE – Associação Nacional de Freguesias. Ainda distinguidos com a Medalha de Cultura e Mérito Desportivo Grau Prata foram a Associação Cultural e Recreativa da Lapa Furada, o Centro Cultural e Recreativo da Quinta do Sobrado e Palmeiros, o Centro Recreativo das Alcanadas, o Atlético Clube da Batalha, a Associação Casa do Mimo, o Jornal da Batalha e o Jornal da Golpilheira.

 

Balanço político

No discurso de encerramento da sessão, Paulo Batista Santos, presidente da autarquia, começou por sublinhar a importância do estudo apresentado anteriormente sobre o Mosteiro da Batalha para “melhor compreender a nossa história e ajudar na preservação do património herdado”. Comentou também os vários agraciados com as medalhas municipais, sublinhando o seu papel para o desenvolvimento local, sobretudo nas áreas do desporto, da acção social e da comunicação social. Uma palavra especial foi sobre António Lucas, que não pôde estar presente e se fez representar pela vereadora Cíntia Silva. “O seu nome estará para sempre associado aos melhores tempos de desenvolvimento do concelho da Batalha”, referiu Paulo Santos, confessando procurar “seguir o bom trabalho que desenvolveu à frente do Município”.

O presidente aproveitou, ainda, para fazer um breve balanço do trabalho do mandato que está prestes a findar, considerando ter “a noção de dever cumprido”, ao “fazer muito sem esbanjamento de recursos” e “manter e melhorar as boas condições que herdámos”. Como exemplo, referiu o facto de “em 2013 termos uma dívida de 2,6 milhões de euros e em 2016 ser apenas de 1 milhão”. Sublinhou ainda a conclusão do processo de revisão do PDM, a construção da primeira Loja do Cidadão da região, a promoção de múltiplos eventos culturais, a criação das Áreas de Reabilitação Urbana da Batalha e do Reguengo do Fetal, da variante Nascente e Jardim dos Infantes e do hostel Pia do Urso, o reforço do apoio social na área da educação e dos idosos, o acolhimento a refugiados, o protecção ambiental, as novas competências na gestão escolar, com reabilitação da sede do Agrupamento e início da construção do Centro Escolar do Reguengo do Fetal, o projecto Gira para transportes públicos, as obras no Centro de Acolhimento a Investigadores e na Casa da Juventude, entre outros projectos de “quatro anos entusiasmantes”.

Por fim, o lamento por ter sido “recentemente obrigado” a dar explicações à Unesco por dois espectáculos realizados no Mosteiro, por motivo de “queixas feitas por alguém”, e o pedido de que “sermos consensuais em matérias de interesse público, em que a Batalha deve estar primeiro e acima das nossas divergências”.

 

Com D. João I e os emigrantes

A manhã continuou na Capela do Fundador, com a cerimónia evocativa da Batalha de Aljubarrota presidida pelo general Aníbal Alves Flambó, e terminou no recinto das festas, com o tradicional almoço de convívio com as Comunidades da Diáspora Batalhense.

Luís Miguel Ferraz

 

ver fotos

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.