Joaquim Santos, um investigador da história local

Joaquim Santos, um investigador da história local

O jornalista e investigador Joaquim Santos tem feito, sobretudo nos últimos anos, um profícuo trabalho de recolha, sistematização e publicação de documentos, textos e notícias sobre diversos aspectos da história da cidade de Leiria e de toda a região, com alguns livros dedicados, em concreto a várias das suas freguesias. Colaborador do nosso Jornal, tem oferecido as suas obras à nossa biblioteca e aqui as temos divulgado, como ainda na última edição, “Contributos para a história da actividade bancária em Leiria”. Nem a pandemia tem travado o seu labor de investigação, sobretudo no Arquivo Distrital de Leiria, e, neste mês de Dezembro, apresenta mais duas: “1854-1933 – Leiria da Monarquia e Liberalismo à República e Estado Novo” e “A Aviação na Imprensa de Leiria”.

Ambas as obras são editadas pela Inforletra, proprietária do jornal “Notícias de Colmeias”, que fundou e dirige, e apresentam, sobretudo, recortes da imprensa regional entre aquelas datas. Na primeira, abordam-se os aspectos mais políticos, sociais e culturais da evolução sociológica das populações e protagonistas de Leiria, atravessando os diversos regimes políticos neste período. Na segunda, uma questão muito concreta, a aviação, tanto quando o tema surgia nas redacções leirienses, como quando foram surgindo pilotos e outros pioneiros desta área na própria região, com momentos altos como a fundação do Aero Clube de Leiria, em 1936.

PUB

Não sendo possível, nesta altura, fazer apresentações públicas, Joaquim Santos tem feito divulgação nas redes sociais. Além de estarem disponíveis nas livrarias de Leiria, o autor recebe encomendas por e-mail para joaquimmanuelalvessantos@hotmail.com. Poderá consultar na sua página de facebook mais algumas das 30 obras que já tem publicadas…

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.