Golpilheira alegrou o Natal de 19 meninas da Casa de S. Miguel

Golpilheira alegrou o Natal de 19 meninas da Casa de S. Miguel

Esta campanha surgiu na sequência de um apelo da Casa de São Miguel, do Centro de Acção Social do Santuário de Fátima, que acolhe meninas institucionalizadas, recebido no local de trabalho pela catequista Sílvia Pereira. A empresa onde trabalha já anteriormente tinha apoiado a instituição com roupas e calçado e, este ano, dada a pandemia e com receio de que pudessem não apoiar, decidiu ela mesma colocar mãos à obra.

Inicialmente, à semelhança do que havia já feito no ano anterior, em que apadrinhou com o marido 14 crianças de uma instituição de Torres Vedras, Sílvia pensou fazê-lo também a título individual. Assim, contactou a instituição para tentar aferir as reais necessidades da mesma e, face à resposta que teve e porque neste ano atípico as instituições estão a passar por necessidades acrescidas, pensou que precisava de ajuda: era necessário amplificar a campanha, dadas a necessidade de roupas, calçado, fraldas, produtos de higiene, etc. Assim, propôs a campanha às colegas de catequese da Golpilheira, que prontamente se dispuseram a ajudar no que pudessem.

Nesta instituição estão 19 meninas, a mais nova com 10 meses de idade e várias crianças pequenas, outras adolescentes e jovens até aos 23 anos. Como é Natal e todas as crianças gostam de receber presentes, especialmente as que se encontram em contexto de maior vulnerabilidade, pediu a cada sala que “apadrinhasse” uma ou duas delas, oferecendo uma prenda adequada à idade de cada uma das “afilhadas”.

Foi feito um folheto para divulgação que foi colocado na página de Facebook da Comunidade Cristã da Golpilheira e distribuído pelos locais onde está a ser dada catequese, para dar a conhecer aos pais o projeto. Quase todas as classes de catequese aderiram, gerando-se uma onda de amor e solidariedade gigante. Cada catequista ficou encarregue de, junto dos pais, organizar, se assim o entendesse, a recolha de donativos monetários para ajudar a custear o valor das prendas. Graças também a donativos de empresas e de tanta gente envolvida, cada criança/jovem não recebeu um, nem dois, mas sim três presentes ou mais, sendo que dentro de cada um iam vários itens.

Dada a divulgação que foi feita, a ajuda foi chegando também de outros golpilheirenses, até residentes no estrangeiro, de onde foram recebidos 100 euros de Inglaterra e 150 euros da Suíça. Juntando a 30 euros de alguém residente na freguesia, esse dinheiro foi usado para adquirir produtos de higiene pessoal e roupa interior para todas as meninas.

Assim, concretizou-se uma linda campanha que uniu crianças, catequisas, pais e outras pessoas e empresas locais, como o Supermercado São Bento, que doou chocolates para todas, da Fátima Cruz, que doou inúmeros artigos, desde roupa, calçado, acessórios e bijuteria, da empresa Sepitra, que doou máscaras reutilizáveis, papel higiénico, gel de banho e detergentes vários, e da Junta de Freguesia da Golpilheira, que serviu como local para entrega de donativos.

Ao todo, juntaram-se 46 caixotes de roupa, calçado, brinquedos, livros e produtos de higiene pessoal: 26 desodorizantes em roll-on, 3 desodorizante em spray, 7 cremes de rosto, 1 creme de mãos, 3 cremes de corpo para bebé, 8 cremes de corpo adulto, 1 máscara para o cabelo, 3 perfumes, 11 embalagens de fraldas, 12 embalagens de toalhetes, 65 embalagens de pensos higiénicos, 6 embalagens de pensos diários, 2 caixas de tampões, 39 champôs, 4 amaciadores, 30 frascos de gel de banho, 36 pastas de dentes, 35 escovas de dentes, 1 gel íntimo e 3 sabonetes. Foram ainda entregues 72 rolos de papel higiénico industrial, 60 litros de detergente para o chão, 30 litros de detergente para os vidros, 12 embalagens de detergente multi-superfícies, 10 litros de desinfetante de superfícies, 10 litros de gel de banho e 250 máscaras reutilizáveis. Por fim, 5 caixotes com presentes, onde iam mais de 60 prendas e 1 caixote de chocolates.

As catequistas Sílvia Pereira e Lourdes Carvalho trataram de toda a logística de recolha, triagem, organização, acondicionamento, a partir de cada sala de catequese e também da entrega na instituição, que aconteceu no domingo 19 de dezembro.

A diretora da Casa de São Miguel, irmã Nanci Leite, ficou maravilhada com tanta coisa, à medida que iam sendo descarregados os caixotes. Com uma mão no rosto e outra no peito, ia dizendo: “Ai pensos, ai papel higiénico, ai tanta coisa!”, incrédula e grata com tão grande generosidade. Agradeceu de coração todo o amor e as contribuições de quantos, das mais variadas formas, se juntaram a esta causa.

No final, as catequistas organizadoras comentavam a sua felicidade por terem levado um pouco mais de alegria àquelas crianças e jovens e diziam que “seria bom que esta campanha se pudesse voltar a organizar e quem sabe pudesse servir de incentivo a outros centros de catequese, pois de que vale apregoar o amor ao próximo se nada fizermos para amenizar o seu sofrimento?”. A todos os que contribuíram deixam um agradecimento e votos de Feliz Natal e por eles foram, nesse dia, acender uma vela a Nossa Senhora no Santuário de Fátima!

JG

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.