Ecovia do Lena dá que falar…

Ecovia do Lena dá que falar…

Destacámos na edição de Março/Abril a obra em curso no vale do Lena, desde a ponte de Casal de Mil Homens, na Golpilheira, até à Batalha. Trata-se de uma ecovia que será adaptada, em grande parte, no traçado dos actuais caminhos agrícolas que atravessam o Paul, a Canoeira, o Baçairo, a Abrunheira e a Ponte de Almagra, em direcção ao Crasto e à Ponte Nova.
O assunto tem dado que falar, desde logo, a partir da “queixa” da Junta de Freguesia da Golpilheira de não ter sido informada em pormenor sobre o projecto nem sobre o início das obras. A Junta defende, ainda, que o percurso pedestre deveria ter outro traçado, mais próximo das margens do rio, e que não deveria ter sido ocupado o actual caminho agrícola para esse fim, já que será complicada a convivência entre os peões e o trânsito automóvel.
Vários populares se juntaram a esse protesto, questionando, sobretudo, como se garantirá o acesso a máquinas agrícolas aos terrenos sem danificar o piso e a sinalética do novo percurso. Recorde-se que esta via é, ainda, usada por muitos automobilistas para a entrada na freguesia, apesar de ser estreita ao ponto de não permitir o cruzamento fácil de dois veículos. O piso em alcatrão é outros dos defeitos apresentados para a finalidade de caminho ecológico.

A Câmara tem vindo a rebater estas críticas, referindo que o projecto está a ser desenvolvido há vários anos, já foi apresentado em Assembleia Municipal e está devidamente publicado no portal do Município. Lembrando que não é possível fazer qualquer construção junto às margens do rio e que “os percursos disponíveis devem ser optimizados de forma a que a intervenção seja mínima e, dessa forma, não se altere a fauna e a flora ali existentes”, a autarquia defende que esta é a solução ideal para promover a “mobilidade urbana multimodal sustentável e medidas de adaptação relevantes”, com uma “estratégia de baixo teor de carbono para todos os tipos de territórios, nomeadamente, as zonas urbanas”.
Em vários meios, desde cartazes a vídeos nas redes sociais, o Município tem vindo a destacar as boas opções ali tomadas para promover o usufruto das caminhadas na natureza e a requalificação das vias existentes, incluindo o aproveitamento futuro desta via para a ligação a Leiria a pé e de bicicleta, inclusive pelos estudantes do ensino superior, em parceira com o IPL. Para tal, serão colocados pontos de distribuição de bicicletas eléctricas, um deles junto ao pavilhão da Golpilheira. Outra parceria, com o grupo Aves Batalha, fará que se coloquem ao longo do traçado alguns painéis informativos sobra a fauna e a flora locais. O percurso, correspondendo a uma adaptação proposta num estudo de alunos de Turismo do Agrupamento da Batalha, terá uma ramificação também pedonal até ao Colipo, no topo nascente da freguesia da Golpilheira.
“Localizado a Norte da vila da Batalha, o açude do rio Lena é o ponto mais forte da intervenção”, entre a rua da Ponte Nova e o Jardim da Cerca”, lê-se no sítio da Câmara. De resto, “as infra-estruturas existentes devem ser aproveitadas, eliminando a necessidade de criar novas, pelo que a intervenção deve ser autónoma, excluindo-se situações em que se verifique a sua degradação”.
Em entrevista que publicámos na última edição, o presidente da edilidade, Paulo Batista Santos, garantia que o acesso aos moradores e terrenos agrícolas será assegurado, embora se preveja a limitação de outro tipo de trânsito automóvel. E explicava, ainda, que só no final, após regularização das bermas e colocação de sinalética, se poderá avaliar a obra. Essa conclusão está prevista para Agosto deste ano.
LMF

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.