Amarense sobe à I Liga de Futsal, mas é travado na “secretaria”

Amarense sobe à I Liga de Futsal, mas é travado na “secretaria”

O Amarense ganhou, no dia 19 de Junho, por 5-2 (4 golos de Nini e 1 de Kalau), ao Fafe, nas meias-finais da “final eight” de acesso à primeira divisão de futsal. Juntamente com o Ladoeiro, a equipa do Casal do Marra, Batalha, garantia, assim, a promoção à liga de elite nacional.

O jogo da final, que decidiu o campeão da II Divisão, realizou-se domingo, onde a equipa da Batalha alcançou o 2.º lugar.

Foram os primeiros jogos da Associação Recreativa Amarense com público, desde a interrupção forçada pela pandemia de Covid-19.
O concelho da Batalha passava a ter duas equipas no nível mais alto do futsal, já que a equipa feminina da Golpilheira representa o Campeonato Nacional desde 2013.

O Amarense subiu à primeira divisão nacional de futsal. Foto: Instagram Liga Placard

No entanto, logo se anunciou que a Amarense, tal como algumas outras equipas, não constavam da lista de emblemas aceites pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), alegadamente por ter não preenchido os requisitos para a inscrição, como a obrigatoriedade de os clubes terem seguro de responsabilidade civil e de apresentarem declarações de regularização de dívidas a jogadores e treinadores ou certificação das entidades formadoras.

O clube batalhense reclamou de imediato ir “recorrer até às últimas instâncias para que o nosso mérito desportivo seja reconhecido”. Falando numa “época atípica, com a falta de público nos jogos e a diminuição repentina das receitas”, em que “o campeonato foi todo ele uma incerteza, com alterações das regras e formatos a meio, com paragens e avanços, sem certezas que a época teria o seu término normal, tanto por parte da FPF como para os clubes”, os responsáveis defendem que “é fundamental que as entidades competentes sejam flexíveis e justas tal como todos os clubes foram perante as dificuldades encontradas nesta época e nos deixem fazer prova das condições que todos sabem que possuímos”, acusando que “o mérito desportivo está a ser preterido em prol do mérito financeiro ou burocrático”. A associação sublinha, ainda, que “foi no decorrer desta época reconhecida como entidade formadora 3 estrelas pela própria FPF”, o que “é uma prova inequívoca do nosso trabalho e organização, pois estamos devidamente licenciados e em plenas condições legais para a prática desportiva nas nossas instalações· recentemente melhoradas com o apoio Municipal e da própria FPF”.

Também o Município da Batalha veio em defesa do clube, sublinhando o objectivo da sua subida à 1.ª Divisão Nacional foi “atingido desportivamente com elevado mérito de toda a equipa e da associação Amarense” e que “no que diz respeito ao Município da Batalha, a Amarense encontra-se devidamente licenciada e certificada junto dos órgãos federativos”.

Ângela Susano/LMF

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.