Comunidade Cristã da Golpilheira celebra o Senhor dos Aflitos a 1 de Agosto

Comunidade Cristã da Golpilheira celebra o Senhor dos Aflitos a 1 de Agosto

Com as restrições ainda em vigor quanto a festas e romarias, não será ainda este ano que teremos o regresso dos festejos religiosos com procissões, arraiais e todo o ambiente que lhes é característico, de que todos teremos saudades…

Ainda assim, os nascidos em 1981, que seriam os festeiros deste ano, quiseram assinalar este primeiro domingo de Agosto, dia 1, com a festa possível em honra do Senhor Bom Jesus dos Aflitos, padroeiro da Comunidade Cristã da Golpilheira.

Será uma celebração muito simples, com a Missa às 09h30, em que alguns deles marcarão presença, e com abertura de portas para possibilitar a participação de mais algumas pessoas que possam juntar-se no exterior. Isto porque se manterão também as regras do distanciamento, da desinfecção das mãos e do uso obrigatório de máscara. No interior, o andor do Padroeiro estará adornado com flores.

Também com alguns arranjos ornamentais estará o adro, destacando-se uma “amostra” do cordão de murta (ver fotos da preparação abaixo) e outros sinais que estrariam a encher a rua até à igreja “velha” por estes dias. No final da Missa, serão aqui vendidos alguns bolos, mas não se permitirá o convívio ou aglomerado de pessoas.

Quanto a uma festa mais “expressiva”, tal como os festeiros do ano passado, também estes ficarão à espera de uma oportunidade para a fazer, em moldes que futuramente serão analisados e combinados entre todos.

“Festeiros” e patrocinadores poderão fazer oferta

Embora não se faça o habitual peditório pelas ruas e pelas empresas, pelos mesmos motivos de evitar contactos, a Comissão de Festas e a Comissão da Igreja agradecem a todas as pessoas que queiram tornar-se festeiras com uma oferta para o Padroeiro, que poderá ser trazida num envelope e entregue no final da Missa.

Quem desejar que o seu nome fique registado nas receitas deste ano, poderá identificar-se no envelope. A comissão poderá, também, passar recibo de donativo às pessoas ou empresas que o desejem.

A este propósito, publicamos a seguir o apelo recebido da Comissão da Igreja da Golpilheira.

Igreja com receitas escassas e despesas inesperadas

Vimos junto da Comunidade Cristã da Golpilheira apelar ao contributo de todos na “festa” deste ano, um pedido que resulta das contingências dos tempos actuais.

Como é sabido, as festas são a principal fonte de receitas anual das nossas igrejas. Há dois anos que não se fazem e isso vem limitar em muito a capacidade de pagar as despesas correntes, como água e luz, e mais ainda os pequenos arranjos, reparações e obras que se revelem inadiáveis.

No caso da Golpilheira, tiveram de ser feitas, no início de 2020, três novas salas de catequese no piso superior do salão e transformadas duas em uma no anexo da igreja, pois a regra do distanciamento obrigou a encontrar espaços mais amplos. Isto, além de termos dois grupos a funcionar nas instalações de São Bento e outro numa sala emprestada pela Junta de Freguesia. No total, foi um investimento de cerca de 20 mil euros.

Também se completou o arranjo da escada do pórtico principal, que estava em adiantado estado de degradação e com risco para os utilizadores, já previsto desde a remodelação inaugurada em 2016. Custou cerca de 3.000 euros, pois contámos com oferta da pedra e do respectivo corte.

Outra obra que não pôde parar foi a dos vitrais, pois era necessário concluí-la para não se perder o acesso aos 30.000 euros do orçamento participativo que este projecto venceu em 2017. Esse dinheiro já veio, mas já tinha destino aos vitrais, que vamos acabar de pagar.

Entretanto, verificou-se uma forte infiltração de águas no salão de festas. Foi necessário colocar telas e repor algumas estruturas danificadas, no valor de cerca de 2.000 euros.

Mais recentemente, o granizo forte que caiu na região – e também na Golpilheira – no passado dia 12 de Junho fez também os seus estragos: um dos vidros da clarabóia principal da igreja partiu-se. Já pedimos orçamento para a reparação, que ainda estamos a aguardar, mas já se sabe que será mais cara a operação de colocação no telhado do que o próprio vidro…

As contas da igreja ainda não bateram no fundo, graças ao empréstimo anónimo que ainda se mantém em cerca de 30.000 euros, mas começa a causar preocupação a escassez de receitas e a perspectiva de surgir alguma despesa imprevista a qualquer momento. Daí o apelo à generosidade dos cristãos desta Comunidade. Quem não puder fazê-lo no próprio dia da festa, poderá entregar o seu donativo para este fim até final do mês de Agosto, em que divulgaremos o saldo da campanha.

Sabemos das limitações, pois estes tempos estão difíceis também para muitas famílias e empresas… mas não deixaremos de confiar que o Senhor Bom Jesus dos Aflitos a todos ajudará e dará a sua bênção protectora. É por essa intenção que faremos a festa deste ano.

A Comissão da Igreja da Golpilheira

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.