Cristina Maria celebrou 15 anos de fado nas Capelas Imperfeitas do Mosteiro da Batalha

Cristina Maria celebrou 15 anos de fado nas Capelas Imperfeitas do Mosteiro da Batalha

As Capelas Imperfeitas do Mosteiro de Santa Maria da Vitória acolheram, no passado dia 27 de Maio, o concerto “Ponte do Regresso”, com o qual a fadista Cristina Maria quis assinalar os 15 anos da sua carreira musical.
“Batalhense de coração”, como gosta de se chamar esta artista natural da Bajouca, proporcionou uma magnífica noite de fado às cerca de 350 pessoas presentes – e não foram mais porque a lotação limitada não permitiu a entrada a muitas outras que ficaram no exterior.

PUB
Ad 13

O concerto espelhou o seu último álbum (livro/CD), com o mesmo nome, que reúne 15 dos melhores e mais emblemáticos temas originais compostos para a sua voz. Uma voz, diga-se, límpida e bem timbrada, possante e doce ao mesmo tempo, com todas as nuances que fazem distinguir as grandes intérpretes deste género musical tão português. Seja em tons mais tradicionais ou contemporâneos e até no fado canção, nela se exprimiram magistralmente as melodias de autores como Custódio Castelo, Abílio Ferro, António Neto e a própria Cristina Maria, no tema que dá nome ao álbum “Livremente”.
O cenário, que já bem conhecemos, dispensa outras decorações, além da magistral arquitectura gótica e manuelina do espaço, sublinhada apenas pela luz de variadas tonalidades. No pequeno palco, destacou-se, ao centro, a pintura do rosto da fadista, que é imagem também do seu mais recente trabalho discográfico, uma bela obra ali apresentada pelo próprio autor, Xicofran, também ele presente. E, claro, nele pontuaram os excelentes músicos que a acompanharam: Ricardo Silva na guitarra portuguesa, António Neto na guitarra clássica e Jorge Carreiro no contrabaixo. Nota, ainda, para o fadista Guilherme Frazão, amigo convidado da artista para apresentar alguns temas.
O tempo ameno e sereno ajudou a que as condições estivessem reunidas para um serão memorável. E assim foi, a deixar o desejo de mais.

Entrevista na próxima edição

Além da música, Cristina Maria destaca-se na arte da escultura, que aprendeu dentro deste mesmo monumento, quando ali frequentou a Escola de Artes e Ofícios Tradicionais da Batalha, nos anos de 1994-1997.
Sobre o seu percurso artístico e pessoal, o Jornal da Golpilheira está a preparar uma grande entrevista de vida, que publicará na próxima edição de Julho/Agosto.
Até lá, fica o convite a que adquira e escute os seus discos ou que visite a sua exposição permanente na casa “Duas Artes”, nos Montes (contactos para vendas/marcações em cristinamaria.com.pt).
LMF

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.