>Batalha recebe maior evento informático do ano

>Batalha recebe maior evento informático do ano

>Mais de 2000 participantes esperados

“Este será o grande evento informático do ano, com a mais potente rede local alguma vez implementada no nosso país”. Foi assim que Eduardo Beira, coordenador do “Campus Party Portugal 2007”, resumiu esta realização, a ocorrer de 25 a 29 de Julho, na Exposalão, na Batalha. Mais de dois mil participantes são esperados nesta “festa”, promovida pela IMPRESA Digital, que pretende “contribuir para o desenvolvimento da sociedade da informação, especialmente entre os jovens, favorecendo a integração de um número cada vez maior de cidadãos na sociedade do conhecimento”.
Durante cinco dias, 24 horas por dia, sem interrupções, os “entusiastas dos computadores” poderão viver uma cultura e ambiente virtuais, ligados entre si por uma rede de elevada performance e conectividade web na ordem dos 2,5Gbps, cuja montagem usa cerca de 100 quilómetros de cabos e mais de dois de fibra óptica. Será como que “um regresso ao futuro, uma experiência limite, uma visão daquilo só será realidade comum daqui por 5 ou 10 anos”, garantiu Eduardo Beira, que manifestou grande optimismo quanto à adesão do público, “dadas as boas infra-estruturas que oferece a Exposalão e a centralidade da Batalha” em relação ao País. “No fim das aulas e antes das férias, será uma boa oportunidade para descontrair, brincar e partilhar conhecimentos, como que num festival de Verão, onde a música é substituída pela tecnologia”, concluiu.
Na apresentação do evento, no passado dia 10 de Maio, nos Paços do Concelho, o presidente António Lucas mostrou a sua satisfação por ter sido escolhido este local para acolher tão significativa realização e mostrou-se convicto de que ela trará “uma imagem positiva e de modernidade do nosso concelho, a nível nacional e internacional, e constituirá uma oportunidade para motivar a população, sobretudo a mais jovem, para o uso da tecnologia e para a importância da actualização nestes domínios”.

O que vai ser
Assumindo um “carácter generalista e pedagógico” e a par do que de melhor se faz em toda a Europa, pretende reunir “as diversas plataformas e comunidades existentes no meio informático, em actividades e competições relacionadas com o que mais de recente se faz nas artes digitais do som e da imagem, na segurança de redes e sistemas e ainda nos vários tipos de jogos digitais”.
Assim, entre as actividades previstas, estão as múltiplas competições especiais, individuais ou por clans (equipas de cinco a dez pessoas) e competições de jogos, multimédia, segurança, mobilidade e telecomunicações. Um programa complementar de apresentações, palestras e debates em ambiente informal facilitará a troca de experiências e um amplo espaço de debate. E um evento musical interactivo de grande escala será também um momento alto do programa, na noite de 27 de Julho.
Além das inovadoras competições e demais concursos deste evento, cujos prémios serão mais simbólicos do que “o prazer de fazer melhor e mais rápido do que os outros”, a sessão deste ano pretende incentivar a criação autónoma de conteúdos, capitalizando as potencialidades da Internet. Uma das “surpresas” reservadas aos participantes será o teste do que “será possível fazer com 2000 computadores a trabalhar no mesmo objectivo. “Queremos verificar as potencialidades de uma ‘grid’ (grelha, rede) deste género, para imaginarmos o que seria possível fazer se colocarmos os milhões de computadores existentes em Portugal a contribuir para uma causa humanitária comum”, adiantou o especialista, sem revelar mais pormenores sobre o teste que será proposto.

História do evento
O primeiro “Campus Party Portugal” realizou-se em 2001, em Braga, com cerca de 350 participantes. Em 2002, em Guimarães, participaram 750 pessoas. E em 2003, em Viana do Castelo, participaram pela primeira vez mais de mil pessoas. De regresso a Braga, em 2004, os participantes do “Minho Campus Party” foram mais de 1.500, com 1.700 computadores ligados e cerca de 25 mil visitantes. Após um interregno de três anos, o “Campus Party Portugal 2007” que acampará na Batalha assume definitivamente uma vocação nacional e passa, pela primeira vez, a barreira dos 2000 computadores conectados na mesma rede. Para tal, a organização irá investir mais de meio milhão de euros, contando com o patrocínio da Cisco e Eurotux (parceiros tecnológicos), AEIOU (portal oficial), Expresso, Blitz e SIC Radical (media partners) e Câmara Municipal da Batalha (apoio institucional).

Inscrições
Os interessados deverão inscrever-se até 15 de Junho (com desconto) ou duas semanas antes do evento. Será pedida uma taxa de inscrição, a rondar os 80 euros, e terão de levar consigo o computador pessoal e um saco cama, porque terão necessidade de descansar algumas horas durante estes cinco dias, numa das 500 tendas que estarão à sua disposição no interior dos pavilhões. As refeições serão também ali asseguradas a todos. Os menores de 13 anos devem ser acompanhados por um adulto inscrito, e os menores entre os 13 e os 16 anos devem ser portadores de uma autorização dos encarregados de educação.
De referir que todo o certame poderá ser visitado gratuitamente por quem desejar apreciar o espectáculo sempre curioso de duas mil pessoas a conviver, mas sentada cada uma em frente ao seu monitor. Haverá mesmo alguns computadores à disposição de quem quiser experimentar um bocadinho desta realidade virtual de elevada tecnologia, talvez para perceber a razão que leva tantos a não perder este evento por “nada deste mundo”.

Portal do Movimento Associativo da Batalha
Cerca de trinta associações sem fins lucrativos do concelho da Batalha vão passar a estar visíveis na Internet, graças à criação de um portal para o associativismo, que decorrerá no âmbito do Campus Party Portugal.
O novo portal, que visa aumentar o protagonismo e a visibilidade das associações que animam e apoiam a comunidade local, vai ao encontro do objectivo da Câmara Municipal da Batalha, um dos impulsionadores do encontro. Além das três dezenas de associações da Batalha, o portal incluirá também a presença de cinco instituições de carácter social e humanitário.
Com a criação deste portal, o Campus Party converte-se, pela primeira vez, num parceiro de iniciativas sociais, só possível graças à responsabilidade social assumida pelos promotores do evento e ao voluntariado dos participantes.
Luís Miguel Ferraz

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.