>Livros – Janeiro

>Diário: Reflexões de Um Jovem na Década de 80
Manuel Barbosa
Papiro Editora
«Retomando o fio à meada, e voltando a falar num certo fio condutor da minha relação com o mundo, desde 1983 até agora, um assunto que sempre me monopolizou o pensamento e mesmo o comportamento foi a estética, quer sob um ponto de vista mais empírico, quer filosófico. Empiricamente constatei que, e falando agora, de beleza física, especialmente a beleza do rosto, o comportamento interior é, inevitavelmente condicionado pelo invólucro exterior, e também subscrevo Platão quando diz que a beleza é uma propriedade objectiva das coisas belas. Platão alude não só à beleza das mulheres e dos homens, mas também à beleza da justiça, da verdade e da alma. Por isso eu gostaria de me apaixonar por uma mulher que fosse um misto de Claúdia Schiffer e Madre Teresa de Calcutá.» – O autor.

A montra das vidas errantes
Miguel Santos Teixeira
Papiro Editora

“Há quem defenda que existe uma outra vida que nos acompanha passo a passo, tal e qual uma rua ou caminho paralelo àquele que todos os dias cruzamos e que julgamos único”. A partir desta ideia, este romance apresenta-nos a vida de Xavier e do seu outro eu, que um dia julgou ver pela montra de uma casa de chá e que nunca mais o abandonou. Duas mentes, duas personalidades, duas vidas jogadas em paralelo, mas sempre à distância mínima uma da outra. Os dramas vivenciais de quem se julgava único e afinal sabe agora que, numa outra dimensão que sempre lhe fora omitida, vive a alternativa ao que faz, ao que é, ao que ambiciona.

Guia de Restaurantes e da Noite de Portugal
Edição: 101 Noites

A 101 Noites continua a guiar os portugueses pela noite fora. Tudo começou em 1998, na Expo, com o lançamento do primeiro Guia da Noite de Lisboa. Hoje, o renovado Guia oferece uma selecção criteriosa, de Norte a Sul do País, dos melhores espaços nocturnos, dos restaurantes, bares e discotecas. Integrado no ambicioso projecto Guia da Noite, que inclui o site www.guiadanoite.net, o magazine digital Noitezine e a revista Guia da Noite Lx Magazine, este é um livro imprescindível para todos os gourmets e noctívagos. Organizado por regiões – Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve –, este Guia é mais do que uma mera listagem de nomes e moradas. Nele encontrará novas cores, sabores e espaços numa viagem pelo essencial da movida portuguesa. São 450 restaurantes, bares e discotecas de Portugal. Info: www.101noites.com

“Receitas Rápidas”
Edição: Vaqueiro

Criado a pensar em todos aqueles que não querem ou não podem perder muito tempo na cozinha, a Vaqueiro acaba de lançar o livro “Receitas Rápidas”. Depois de um atribulado dia de trabalho, de uma reunião interminável, ou de horas infindáveis no trânsito, o ideal é chegar a casa e preparar uma refeição rápida e deliciosa. Este novo livro de receitas mostra como é possível. Trata-se do 4º volume de uma colecção iniciada em 2006, com “ABCozinha”, um livro de procedimentos básicos para quem nunca mexeu num fogão ou num tacho. Seguiram-se “Entre Amigos”, receitas para partilhar, e “Receitas para Impressionar”, para aqueles momentos mais especiais em que se quer deixar toda a gente de boca aberta. Em “Receitas Rápidas”, juntam-se mais de 50 deliciosas receitas com fotografia e muitas dicas úteis, que permitem simplificar a tarefa diária de cozinhar e ajudam a transformar a preparação das refeições num momento leve e descontraído. Disponível em livrarias, hipermercados e em www.vaqueiro.pt.

Agente Zigzag
Ben Macintyre
Guerra & Paz Editores
Noite de 1 de Dezembro de 1942. Um pára-quedista nazi aterra num campo do condado de Cambridge com a missão de sabotar o esforço de guerra britânico. O seu nome era Eddie Chapman, rapidamente convertido no Agente Zigzag do serviço de segurança britânico MI5. Corajoso e imprevisível, Chapman escondia um herói dentro do traidor. Por trás do seu perfil de vilão, estava um homem com consciência. O seu problema – assim como o das suas muitas amantes e dos seus chefes – era distinguir onde terminava um e começava o outro. Munido de uma panóplia de diários, cartas, fotografias e documentos secretos agora desclassificados, o autor construiu este livro fascinante sobre o mais sensacional agente secreto britânico. E é tudo real, por incrível que pareça.

Polícia à Portuguesa
Fernando e Mário Contumélias
Livros d’Hoje / P. Dom Quixote

A Polícia portuguesa vista pelos próprios polícias, num retrato “confrangedor e assustador” da PSP, após dezenas de entrevistas. “Está na altura de alguém dizer claramente que, em Portugal, parece que andam a brincar aos polícias ou com a Polícia”, concluem os autores ao observar que a actual polícia está mal preparada, desmotivada e sem condições de trabalho. Situações de fome, famílias destruídas, doenças, acusações criminais, falta de meios (pistolas velhas, balas contadas, coletes ineficientes, carros a rebentar), perseguições internas, favoritismos, trabalho forçado, etc., que acabam vezes demais em esgotamento e suicídio dos agentes. Os próprios polícias consideram que a PSP oferece um serviço deficitário à população, face ao défice de formação, de meios e de condições. Esta é uma reflexão sobre as causas da insegurança que domina Portugal.

Arquitectura Gótica Desenhos do Mosteiro da Batalha
– Reedição do álbum de 1795 de James Murphy
Maria João Neto
Aletheia Editores

O mosteiro da Batalha teve um papel fundamental na divulgação internacional do movimento «gothic revival» e na arte do século XVIII, graças à acção de James Murphy, que em 1788 estudou e realizou o levantamento arquitectónico pormenorizado do monumento. Desse trabalho resultou um magnífico álbum, publicado em 1795, acompanhado de um estudo sobre arquitectura gótica, que foi fonte de reflexão e imitação internacional. Essa obra teve uma edição limitada, tornando-se um livro raro de bibliotecas e coleccionadores privados.
Nesta edição fac-similada, acompanhada de estudo crítico, mostra-se esse expoente máximo do nosso património e fixa-se o enquadramento histórico e cultural do trabalho de James Murphy, valorizando a dimensão do Mosteiro da Batalha no contexto internacional.

Homenagem
Irina Noronha
Papiro Editora

“Passaram-se os anos / E com eles vieram tantas saudades / Hoje lá no fundo grito, voltem / (como se eles tivessem optado partir) / Mas oiço de tão longe, a voz da minha mãe / A gemer de mansinho / Cantigas da minha infância.” Esta é uma obra poética recheada de mágoas e de saudade, que a autora dedica à memória dos seus pais falecidos. Mas também de reflexão profunda sobre a dor, a vida, o amor, a realidade em múltiplas formas de a sentir.

Assim como as cerejas
Margarida Damião Ferreira
Papiro Editora

Serão conversas? Talvez sejam. Conversas interiores da autora consigo mesmo mesma, a brincar com as palavras, leves, soltas, bonitas, redondas como bolas de sabão. Ou conversas com o leitor, sobre os sabores da fruta e da chuva de chocolate e sobre as viagens, os beijos, os encontros e desencontros a dois. Poesia é, com certeza, a levar-nos aos saltinhos entre sentimentos e abraços, até ao futuro a desenhar no horizonte. “De que serviria terem-me criado / para ficar só / aqui?” São os versos com que se despede a autora neste livrinho.

A Voz do Coração
Fatinha do Barreiro
Papiro Editora

A poesia de Fatinha do Barreiro deixa ao leitor um retrato sobre a amizade e o amor, a saudade e o sonho. Fala de sentimentos reais, que o mais comum dos mortais sentiu, sente ou sentirá um dia. Este livro é uma mensagem que tenta exprimir a linguagem do coração na poesia. Contém declarações de amor, com mais ou menos calor, revela verdades do coração. O contacto com a natureza, momentos de solidão e tristeza, muita saudade e emoção.

Alvorada
Filipa Freire
Papiro Editora

Como se vive a sentir e a saber o viver dos outros? És assim tantos? Quantos são dentro de ti? Será que eles todos são tu? Aquele que escreve o que os outros sentem procura-se rever em algum deles. As vidas são histórias variantes do eu. A luz mostra os contornos do caminho, percebe-se a marca dos passos, do reerguer de joelhos e de mãos abertas para o futuro. Reerguer-se e prosseguir com fé em melhores dias é o que nos contam estes contos. Contos de todos nós!

Tristão O Dragão
Sónia Machado Padrão
Ilustração: Sofia Monteiro
Papiro Editora

Esta é uma deliciosa história infantil, onde não falta a proposta de actividades e um CD com músicas originais dedicadas à simpática personagem do dragão chamado Tristão. Só para abrir o apetite, um bocadinho da letra: “Ele era do país das fadas / que o deitavam em muitas almofadas / era verde e às vezes de outras cores / e morava num monte cheio de flores. // Tinha asas brilhantes como estrelas / e narinas parecidas com janelas / e quando voava na floresta / toda a gente fazia uma festa. // Tristão, Tristão é como um balão / Tristão, Tristão assusta o papão / Tristão, Tristão gosta de crianças / e é um Dragão Tristão”.

O Abraço das Raízes
José Cândido Fonte
Papiro Editora

“O espinho orgulha-se da sua rosa, / E o homem das suas Raízes.” Este é o poema que fecha e dá título a esta obra de poesia, que o autor define, também em poema, assim; “A poesia é o paradigma da beleza. / Nessa ilha de silêncio, povoada de palavras, / um poema é o sonho que amanhece. / E o amor, palavra em luz, / tem as cores do arco-íris.” As palavras, o amor, os valores da vida… circulam de forma magistral e bela por todas as páginas.

Ingoísmo
João Madeira da Silva
Papiro Editora

“Conjunto de letras arquitectadas que me arrepiam e me roubam pequenos sorrisos nervosos. E porquê? Porque é essa arquitectura que transforma as letras em truques de magia poéticos.” – Maggie. “Uma descrição poética, singular, livre e inteligente da simplicidade complexa que nos rodeia, algo a que uns chamam vida e que outros preferem encarar com uma colorida ‘bola de elásticos’.” – Vanda Ladeiras.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.