>Valorlis evita abate de 70 mil árvores

>Valorlis evita abate de 70 mil árvores

>Recolha selectiva bateu todos os recordes em 2008

Mais de 70 mil árvores, 12 milhões de garrafas de vidro e 4 milhões de t-shirts, são os números que mostram o que foi possível poupar em 2008, com o esforço dos cidadãos da Alta Estremadura e da Valorlis.
A Valorlis registou em 2008 um aumento na recolha selectiva de embalagens (metal, plástico, papel/cartão e vidro) de 10,4%, em relação a 2007, batendo assim todos os recordes de reciclagem. Parcelarmente, registaram-se aumentos, face a 2007, de mais 9% no vidro, 6% no papel/cartão e 39% nas embalagens de plástico e metal.
No que respeita ao vidro, as 4.271 toneladas separadas permitem produzir 12.202.857 garrafas de vidro de 0.75 litros; relativamente ao papel/cartão, as 4.721 toneladas recolhidas evitaram o abate de 70.815 árvores; as 1073 toneladas de embalagens depositadas nos ecopontos da Valorlis equivalem à produção de 4.375.510 t-shirts XL; as 162 toneladas de aço recolhidas dão para produzir 9.470.951 latas de 0,33 litros; e, finalmente, as 11 toneladas de alumínio recolhidas permitem poupar a energia equivalente a manter ligada uma TV durante 269 anos.
“Estamos muito satisfeitos com estes números, que são, de facto, impressionantes. Houve um aumento significativo de materiais enviados para reciclagem, o que significa que há cada vez mais pessoas a reciclar”, esclarece Miguel Aranda da Silva, administrador-delegado da Valorlis.
A empresa adianta que este resultado só foi possível graças ao esforço e empenho de toda a população dos seis concelhos abrangidos pela sua acção (Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós), que está por isso de parabéns, pela colaboração na separação dos resíduos domésticos, contribuindo para os bons resultados do sistema de recolha selectiva implementado. Ao separar e depositar os resíduos no ecoponto, cada cidadão contribuiu para que no final de 2008 tenha sido possível enviar para reciclagem materiais que permitem produzir ou poupar recursos extremamente significativos.
“Nas acções de sensibilização previstas para 2009, pretendemos destacar o papel/cartão. Queremos aumentar os seus índices de deposição nos ecopontos e assim contribuir para um adequado funcionamento do sistema de gestão de resíduos sólidos da região”, remata o administrador-delegado.

“2 causas por 1 causa”: Reciclagem e prevenção do cancro
No âmbito da campanha “2 causas por 1 causa”, a Valorlis contribuiu, entre Abril e Dezembro de 2008, com 7.947 toneladas de resíduos de embalagem enviados para a reciclagem. Esta campanha – que associava a reciclagem à prevenção do cancro da mama – surgiu da parceria estabelecida entre a Sociedade Ponto Verde (SPV) e os sistemas de gestão de resíduos com a Laço, uma associação de voluntariado fundada em 2000, cujo objectivo é lutar contra o cancro da mama em Portugal, actuando sobretudo na prevenção, diagnóstico e tratamento.
O balanço final foi apresentado no passado dia 17 de Janeiro, com a entrega de 409 mil euros à associação Laço (1,5 euros por cada tonelada recolhida), sendo o valor destinado à aquisição de duas unidades de rastreio móvel. Estima-se que esta ajuda vá contribuir para o rastreio anual de mais 20 mil mulheres, além daquelas que já o fazem todos os anos.
“Estamos muito orgulhosos da forma como decorreu esta campanha. Gostaríamos de agradecer a todos os munícipes da área de influência da Valorlis, que contribuíram da melhor forma, permitindo-nos alcançar resultados muito significativos”, comenta Miguel Aranda da Silva. “E porque a reciclagem é, por si só, uma grande causa, queríamos também apelar a todos os cidadãos para que continuem a reciclar diariamente, nas suas casas, no local de trabalho, façam da reciclagem um hábito familiar e uma forma de vida. Todos teremos a agradecer no futuro”, acrescenta o responsável.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.