>Mais um passo para o pavilhão desportivo da Golpilheira

>Mais um passo para o pavilhão desportivo da Golpilheira

>Assembleia Municipal declara “utilidade pública”

As grandes obras fazem-se passo a passo. Sabemos que, muitas vezes, são precisos passos a mais, graças ao peso das burocracias, dos papéis e das assinaturas necessárias para que um projecto se veja concretizado na prática. Assim, já ficamos contentes quando vemos que os passos são dados em frente e não ao lado ou para trás.
Não vale a pena voltarmos a repetir toda a história das piscinas e do pavilhão desportivo que a Golpilheira já poderia ter, se não fossem os impedimentos legais sem sentido, que têm inviabilizado a sua construção junto ao Centro Recreativo, onde um pequeno canto está considerado pelo Ministério do Ambiente como “zona de cheia do rio Lena”!
A desafectação já tinha sido conseguida para a construção das piscinas, mas a Câmara, de acordo com o pedido da população e autarcas da Golpilheira, aceitou trocar essa obra pela construção de um muito mais necessário pavilhão desportivo. Isso significa que todo o processo terá de ser repetido.
Foi nesse sentido que a Assembleia Municipal, na sua reunião de 24 de Abril passado, deliberou por unanimidade aprovar a decisão do executivo de emitir uma declaração de “utilidade pública” sobre esta infra-estrutura na nossa freguesia, para que a pequena parcela classificada na mancha de Reserva Agrícola Nacional possa ser desafectada e ocupada por um “canto” do futuro pavilhão.
De qualquer modo, o presidente da autarquia, António Lucas, afirmou-se confiante numa decisão rápida, de modo a que a obra possa avançar conforme está previsto no plano de actividades municipal, cujo orçamento prevê já uma verba de 210 mil euros destinada a este fim, mais 298 mil euros em 2010, num investimento global de 508 mil euros. Aliás, no próprio dia da Assembleia, a Câmara tinha concretizado a assinatura da escritura de compra do terreno ao CRG, com um total de 4.200 metros quadrados, para implantação desta infra-estrutura.
Resta-nos, portanto, esperar que, dentro em breve, o ringue existente no local comece a ser transformado num pavilhão, que tanta falta faz para a prática desportiva das equipas da colectividade e também para uso da população em geral.
LMF

Cemitério passa para a Junta
O ponto principal desta sessão da Assembleia Municipal foi a aprovação das contas do exercício de 2008 do executivo municipal, que mereceu voto favorável de todos os deputados. Foi ainda deliberada por unanimidade a transferência da gestão do cemitério da Golpilheira para a nossa Junta de Freguesia, conforme a legislação em vigor e acontece já com outros casos no Concelho.

ASAE elogia-nos
Também nesta Assembleia, a Golpilheira voltou a ser mencionada, a propósito da inspecção efectuada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) às escolas e fornecedores de reifeições aos alunos do Concelho. Conforme noticiámos em Fevereiro, esta acção serviu para comprovar a qualidade dos serviços prestados e das condições de higiene e segurança em todo o processo de fornecimento de refeições gerido pela Iserbatalha. Segundo António Lucas, “a ASAE deu os parabéns às nossas escolas e às entidades que confeccionam as refeições, onde se inclui o Restaurante Etnográfico da Golpilheira, o que vem comprovar que as acusações lançadas por algumas pessoas só podem ser motivadas pela má-fé ou por outros interesses alheios à saúde das nossas crianças”.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.