>Eleições Legislativas • 27 de Setembro de 2009 • PS vence no País, mas PSD domina no Distrito

>Eleições Legislativas • 27 de Setembro de 2009 • PS vence no País, mas PSD domina no Distrito

>Nas eleições legislativa de 2009, o PS garantiu a vitória a nível nacional, com 36,56% dos votos. Ainda assim, perdeu a maioria absoluta que tinha na legislatura anterior, tendo de apostar no “diálogo” para governar com a oposição de PSD (29,09%), CDS-PP (10,46%), BE (9,85%) e CDU (7,88%), todos eles com mais deputados do que os conquistados em 2005. A Assembleia da República fica, assim, composta com os seguintes deputados: 97 do PS, 81 do PSD, 21 do CDS-PP, 16 do BE e 15 da CDU.
Um dado curioso é que a taxa de abstenção foi a mais alta deste 1975 para umas eleições legislativas, situando-se nos 40,26%, apesar de terem votado mais pessoas do que em anteriores actos eleitorais.

Distrito
A nível do distrito de Leiria, um habitual território do PSD, este partido garantiu mais uma vitória, com 34,97% dos votos, uma percentagem menor em relação às eleições de 2005 (teve 39,80%). Também o PS, com 30,18%, desceu significativamente em relação a 2005 (em que obteve 35,58%). Mesmo assim, conseguiu eleger quatro deputados, os mesmos que teve no último acto eleitoral para a Assembleia da República, o que não foi o caso do PSD, que perdeu um dos cinco conquistados em 2005. A grande subida no distrito foi a do CDS-PP, que passou dos 8,85% em 2005, para 12,63% em 2009, mantendo o seu deputado eleito. Inédita foi a eleição de um deputado pelo BE, com 9,50% dos votos. A abstenção no distrito de Leiria foi de 41,19%, soma superior à média nacional de 40,26%.
Assim, no círculo eleitoral do Distrito, foram dez os deputados eleitos para a Assembleia da República: Teresa Morais, Fernando Marques, Paulo Baptista dos Santos e Maria da Conceição Bretts (PSD), Luís Amado, José Miguel Medeiros, Odete João e João Paulo Pedrosa (PS), Assunção Cristas (CDS-PP) e Heitor de Sousa (BE). Entre estes, salientamos o nome de Paulo Batista (PSD), um conterrâneo do nosso concelho, ex-vereador do último executivo da Câmara da Batalha e actual membro da Assembleia Municipal. Não sendo uma experiência nova, o deputado afirma-se “mais preparado para dar um contributo válido ao País, sem esquecer uma atenção especial à região que me elegeu”.

Concelho
Na Batalha, o PSD manteve uma vitória expressiva em todas as freguesias, com 40,68% no total concelhio. O segundo partido mais votado foi o PS (23,61% no total), seguido de perto pelo CDS-PP (17,08%), que teve mais votos do que o PS apenas em S. Mamede.

Freguesia
Na Golpilheira, os resultados seguiram a média concelhia, com o PSD à cabeça (43,03%), seguindo-se PS (24,77%), CDS-PP (15,55%), BE (6,12%) e CDU (1,2%). Todos os outros partidos ficaram abaixo de 1%.
Salientamos, mais uma vez, a elevada taxa de participação da população neste acto eleitoral. De facto, a taxa de abstenção ficou-se pelos 26,96%, muito abaixo da média nacional (40,26%), da média distrital (41,19%) e da média do Concelho (35,84%). Foi uma das freguesias com a menor taxa de abstenção a nível nacional, o que não pode deixar de nos orgulhar.
LMF

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.