>Coluna Saúde | Viajar com saúde

>Coluna Saúde | Viajar com saúde

>Com o início do bom tempo e a aproximação das férias escolares, muitas famílias aproveitam esta época para viajar e conhecer novos locais. Para que esta actividade de lazer decorra sem incidentes, é necessário ter em atenção a saúde de todos os intervenientes.
Para viajar pelos países da União Europeia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça, os cidadãos dos Estados-Membros gozam de alguns direitos, facilidades e garantias no que toca a cuidados de saúde.

Os cidadãos europeus que adoeçam durante uma viagem por um dos países acima referidos têm acesso a cuidados de saúde gratuitos ou com custos reduzidos e o acesso a estes cuidados é facilitado pelo Cartão Europeu de Seguro de Doença. É importante referir que apenas os cuidados de saúde financiados pelo sector público estão incluídos neste regime e cada país tem as suas próprias regras em matéria de cuidados de saúde públicos. Por este motivo, pode ser útil fazer um seguro de viagem, visto serem poucos os países da UE que pagam integralmente as despesas de tratamentos médicos.

O Cartão Europeu de Seguro de Doença é emitido pela entidade responsável pela prestação de cuidados de saúde (Segurança Social ou outro subsistema) e pode ser utilizado em deslocações temporárias, como as férias. Este cartão não abrange os casos em que o cidadão se desloca com o intuito de receber cuidados de saúde específicos noutro país, nem o sector privado.

O cartão garante o mesmo acesso aos cuidados de saúde do sector público que os cidadãos do país que está a visitar. Se for necessário receber tratamento médico num país em que os cuidados de saúde não sejam gratuitos, o portador do cartão será reembolsado imediatamente, ou mais tarde, quando regressar ao seu país. A utilização deste cartão facilita todo o processo de prestação de cuidados e previne o regresso antecipado ao país de origem.

Espalhado por todo o País existem consultas do viajante, que são efectuadas por médicos especialistas em doenças infecciosas e em medicina tropical. Comparecer nesta consulta é fundamental, se efectuar uma viagem para países fora da União Europeia. Se viaja com a família, particularmente com crianças e idosos, tenha em atenção os cuidados especiais de que exigem.

Estas consultas servem para aconselhar as medidas preventivas a adoptar antes, durante e depois da viagem, como a vacinação, medicação preventiva e outras informações. Também lhe podem ser fornecidas informações sobre a assistência médica e segurança no país de destino e aconselhamento sobre os medicamentos que o viajante deve levar consigo. O médico também pode prescrever vacinas importantes (como a febre amarela, cólera, febre tifóide e Meningite Meningocócica – essenciais para entrar em alguns países) e passar o respectivo certificado internacional.

Caso transporte medicamentos sujeitos a receita médica, deve levar a receita sempre consigo e não deve exceder as quantidades necessárias à sua utilização pessoal durante a viagem.

De acordo com a OMS, as pessoas que planeiam viajar devem informar-se sobre potenciais perigos dos países de destino, para tentarem minimizar os riscos para a saúde. Os viajantes podem encontrar mudanças súbitas e significativas de altitude, humidade, micróbios e temperatura, que podem resultar em doença. Além disso, podem surgir sérios riscos para a saúde em locais onde o alojamento é de fraca qualidade, as condições de higiene são inadequadas, os serviços médicos não estão desenvolvidos e não há água potável. O ideal é ir precavido.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.