>Festa paroquial da Santíssima Trindade

>Festa paroquial da Santíssima Trindade

>Participação em crescendo

PUB
Ad 13

A festa paroquial da Santíssima Trindade, no passado dia 30 de Maio, registou uma das maiores participações dos últimos anos. Tendo como imperador Armindo Vieira Jordão, foram mais uma vez convidadas as várias comunidades da paróquia a participar com os seus andores, bem como as associações, autarquias e outras entidades a levarem as respectivas bandeiras. Juntando a isso as várias dezenas de ofertas particulares e o acompanhamento da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários da Batalha, o cortejo foi longo e vistoso.
Ainda bem que assim foi, pois esta é uma festa multi-centenária e uma interessante manifestação religiosa popular, à qual está associada a lenda da promessa feita pelos frades dominicanos após a protecção dada aos seus celeiros perante uma praga de insectos.
A celebração eucarística foi o ponto alto da festa, com o presidente da celebração, monsenhor Luciano Guerra, a lembrar que “é importante alimentarmos as raízes da nossa fé, que são mais importantes para a saúde da árvore do que as flores e os frutos, representados pelas festa”. E essas raízes devem estar “bem assentes na terra, que é Deus, a razão e o fundamento da nossa fé e das suas manifestações festivas”. Lembrando as raízes desta devoção à Santíssima Trindade, o sacerdote frisou o incremento que lhe foi dado após as Aparições de Fátima, terminando com uma sugestão a “todos os diocesanos de Leiria-Fátima a recitarem diariamente as orações a Deus Pai, Filho e Espírito Santo ensinadas pelo Anjo aos Pastorinhos”.
 LMF

Meninos do 2.º ano da catequese na Festa do Pai-Nosso
No passado dia 20, realizou-se na nossa igreja mais uma festa litúrgica das que assinalam o percurso dos meninos da catequese, desta vez os do 2.º ano. Estando na fase de aprender a rezar, o Pai-Nosso é a oração emblemática que aprenderam e que agora ficam encarregados de praticar diariamente.
São momentos bonitos, incorporados na liturgia do domingo e que são especialmente preparados para que fiquem na memória das crianças. É passo a passo que se cresce na fé e na vida cristã. E é na oração que se alimenta essa fé, pois é a forma de falarmos com Deus e o escutarmos. A oração do Pai-Nosso foi a que Jesus nos ensinou e, por isso, é uma das que devemos sempre rezar com muita devoção.

Oração e convívio popular no encerramento do Mês de Maria
Dinamizado pela Comissão da Igreja da Golpilheira, decorreu no dia 6 de Junho o encerramento do Mês de Maria. Iniciado com a oração do Terço na igreja de Nossa Senhora de Fátima, animado pelas crianças da catequese, seguiu-se a procissão até à igreja do Bom Jesus dos Aflitos, com a bandeira e as ofertas.
Participaram muitas pessoas, algumas das quais com ofertas para serem leiloadas, como é costume neste evento. Terminada a procissão, iniciou-se de imediato o leilão, sempre muito animado, no qual não faltam os compradores. Vendeu-se de tudo um pouco.
O assador não parou de trabalhar, preparando boas sardinhas, carapaus, chouriços, etc. Também não faltou o bom pão e a broa caseira, acompanhados com o bom vinho da região. E para a “sossega”, lá estavam as filhós e o café da avó. E assim se cumpriu uma tradição, referente ao mês de Maio, mês de Maria, mês das Flores e mês dos Amores.
MCR

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.