>167 – Poesia

>167 – Poesia

>

Sentimental…

Não faz mal!…

Não há bem, sem ter no mar
Salvação em onda brava…

Trovoada?

Do Inferno foge a alma…
Quem se salva?

Tentações em meu pecado.

Perdoado?
Não há mal. Lá vem recado…
Quem te viu?

Mantêm a calma.

Hoje a noite tem no ventre
Um sono lindo dormente…

Até brilha a minha alma!…

Miguel Portela, in “Diz Sempre que sim…”

Dia da Mãe

Mãe, o teu dia algo faz recordar,

Tudo o que passaste na vida
No coração de cada um
Sente a quem devem amar.

Santa Mãe é a Pérola do Céu

Da minha mãe é a sua companheira,
Não a deixes desanimar
Nas horas difíceis da vida
Maria é a sua conselheira.

Mãe, o seu dia é inesquecível

O seu olhar algo quer dizer,
Por ser o dia de todas as mães
Os filhos não a devem esquecer.

Querida mãe, a olhar para ti

Notei que no coração algo sentias,
Não quiseste desabafar
Alguma mágoa trazias.

A vida por vezes é ingrata
Mas gosto de te ver sorrir,
Quando dizes as tuas palhaçadas
É assim que os filhos gostam de te ouvir.

Querida mãe

Sentes-te cansada e oprimida
Tua vida de sofrimento está marcada.
Sê forte para enfrentar todos os obstáculos
Por todos os filhos és acarinhada.

Cremilde Monteiro

Quatro paredes sem ti

A noite quando quero dormir,

Sinto a tua falta, a tua presença é vazia
Aí sim a solidão me faz sentir
O quanto a noite é fria.
A cada canto, a tua imagem
Me faz sentir falta de ti.
É triste esta viagem
No caminho que contigo percorri.
Olho com tristeza a escuridão,
Sem ver nada apenas o valor de cada retrato
Posso ter tudo, mas há dentro de mim uma solidão
Quando ao deitar sinto um lugar vazio no quarto.
A vida pode ter muita fantasia,
Mas cada dia que passa
Cada vez menos alegria…
Falta a companhia da minha Graça.
Jamais voltarei atrás,
Ao encontro de quem tudo me deu
Não volto porque não sou capaz
E nunca esqueço o quanto sofreu.
Quatro paredes sem ti,
É o que resta do nosso amor
Porque o valor de ti tudo perdi
A vida para mim aos poucos perde o valor.
O tempo jamais me amadurece,
A vida hoje é uma pedra fria
A tua falta nunca mais me esquece
Embora a vida pareça que sorria.
Como é tão triste a solidão,
Só quando se passa por ela damos o valor
É ferida que sangra eternamente no coração
A felicidade morre sem o verdadeiro amor.

José António Carreira Santos

A Criança Sorri  
1 de Junho

Sol que vais bem alto

És alegria e o sorriso duma criança,
Sejam normais ou não sejam
Esta pérola tão preciosa encanta.

Há crianças que estão marcadas
e o seu sofrimento sabem superar,
Vivam com dificuldades ou não
Não há distinção para saber amar.

É maravilhoso ensinar uma criança

Esta frase, são palavras de Jesus,
Várias crianças não O conhecem
Pais ensinem, para seguirem esta Luz.

Há crianças maltratadas

Não têm de comer, nem onde ficar,
Por causa de injustiças ou orientação
Os inocentes são os que têm de pagar.

Uma criança deficiente

Com naturalidade quer ter atenção,
Quando se vê o olhar tão cintilante
Profundamente sente o bater do coração.

As crianças em geral

Deitam o perfume como uma rosa,
Todos gostam de sorrir como a flor
As crianças são a flor mais amorosa.

Cremilde Monteiro

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.