Galardão europeu para o Museu da Batalha

Galardão europeu para o Museu da Batalha

MCCB recebe Prémio Kenneth Hudson


O Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB) conquistou na cidade belga de Tongeren, no dia 18 de Maio, Dia Internacional dos Museus, o Prémio Kenneth Hudson do Fórum Europeu dos Museus.
A distinção, atribuída em honra do fundador do Prémio Museu Europeu do Ano, distingue museus, pessoas, projectos ou grupo de pessoas que tenham alcançado feitos invulgares, ousados e mesmo controversos que desafiem a percepção comum do papel do museu na comunidade.
Para os elementos do júri internacional, o prémio atribuído ao Museu da Batalha justifica-se “pela sua capacidade extraordinária em fornecer, de forma simples e acutilante, diversas experiências museológicas aos seus visitantes, num processo que contou com a participação da comunidade local, investigadores e especialistas”.
O MCCB foi inaugurado formalmente em Abril de 2011 pelo Presidente da República, Cavaco Silva, e já tinha sido eleito, em Dezembro passado, o Melhor Museu Português em 2012, pela Associação Portuguesa de Museologia. Por esta nova distinção, desta vez a nível europeu, o Chefe de Estado publicou no sítio da Presidência da República uma mensagem de felicitações, considerando que este prémio “demonstra o reconhecimento internacional alcançado pelo trabalho que o Museu da Batalha realiza em prol da preservação e divulgação da nossa cultura, contribuindo para tornar acessível a todos os cidadãos a história e a pré-história do concelho”.
Para António Lucas, presidente da Câmara da Batalha, “o prémio Kenneth Hudson representa para o Museu e para o Concelho da Batalha uma enorme honra, tendo em conta a fortíssima concorrência que as 29 candidaturas finalistas representavam, contando-se museus regionais de grande reconhecimento e museus nacionais de enorme prestígio internacional”. O autarca considera que “este prémio significa uma vitória muito especial, um feito inédito para os museus do nosso país que reforça ainda mais a notoriedade cultural e de prestígio para o Museu, para a Batalha e para toda a região”.
Recordamos que o MCCB desvenda ao público o território concelhio, através de uma interessante e paradigmática viagem com mais de 250 milhões de anos, percorrendo as grandes transformações registadas nos domínios da geologia e da paleontologia do território, numa linguagem técnica mas de fácil compreensão e recorrendo à acessibilidade e à inclusão como suas imagens de marca.

Que prémio é este?

O European Museum of the Year (EMYA) é o mais antigo e mais prestigiado prémio museológico na Europa, atribuído anualmente pelo European Museum Forum (EMF), sob os auspícios do Conselho da Europa. Foi fundado em 1977 pelo jornalista, neo-museólogo, radialista e autor Kenneth Hudson.
O seu objectivo é reconhecer a excelência entre os museus europeus e promover e incentivar processos inovadores no panorama museológico internacional. O prémio vai para um museu que mais contribua directamente para atrair o público e satisfazer os visitantes com uma atmosfera única, uma apresentação e interpretação imaginativa, uma abordagem criativa à educação e responsabilidade social.
Podem candidatar-se ao EMYA os museus construídos ou remodelados nos últimos dois anos. Já foram vencedores espaços grandes e pequenos, públicos e privados, de variadas temáticas e nacionalidades, mas todos com notória excelência na elevação do padrão de qualidade dos museus europeus.
A presente edição contou com 40 candidaturas, provenientes de 20 países. O Prémio Museu Europeu do Ano foi para o Museu Riverside de Glasgow, na Escócia. O Museu de Arte de Riga, o Museu de San Telmo em San Sebastian, Espanha, e o Museu Gobustan, no Azerbeijão, foram distinguidos com menções honrosas.
Na cerimónia anual, são ainda atribuídos mais três prémios:
– Prémio Kenneth Hudson, com o nome do fundador, um galardão que assinala a ousadia, invulgaridade e novidade da proposta museológica, este ano atribuído ao Museu da Batalha;
– Prémio Silletto, para o projecto que mais se destaca pelo envolvimento da comunidade local na sua concepção e desenvolvimento, este ano entregue ao MAS – Museum Aan de Stroom, de Antuérpia, na Bélgica;
– Prémio Conselho Europeu, atribuído por esta entidade ao museu que mais contribui para a promoção da cultura e da identidade da União Europeia, este ano atribuído ao Museu de Liverpool, no Reino Unido.

PUB
Ad 13
Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.