No seu 48.º aniversário, CRG tornou-se romano para comemorar Collippo

Bem podemos dizer que foram grandiosos os festejos do 48.º aniversário do Centro Recreativo da Golpilheira, nos dias 14 a 17 de Julho. Para já porque foram 4 dias, depois porque tudo correu “à grande e à romana”. De facto, também pela primeira vez, a festa teve um enquadramento temático, tendo sido escolhido o ambiente romano que existiu no passado da freguesia, na povoação desaparecida de Collippo.

Assim, alguns dos membros da direcção e da quase meia centena de voluntários andaram vestidos à romana e criou-se um grupo para a preparação de algumas apresentações cénicas. Aconteceu teatro, aconteceu dança medieval e artística, com a especial colaboração da professora batalhense Catherine Revel, aconteceram gigantones e arruadas de tambores, aconteceram passeios a cavalo e, claro, muita animação musical. Outra novidade foi a presença de tendas de mostra e venda de artesanato e doçarias, bem como de artesãos locais a trabalhar a cestaria em vime e as ferramentas e utensílios de madeira. Isto além do típico restaurante onde o frango assado é rei, da quermesse e dos bares sempre muito concorridos.

No campo da animação, que contou com o apoio da Câmara Municipal, passaram pelo palco ou pelo recinto Jonnhy & Friend, Ahkorda, Gaitilena, FV Music, Tocándar, Rancho Folclórico “As Lavadeiras do Vale do Lena”, Elsa Gomes & Friends, LF Music, e David Antunes & Midnight Band. Grandes concertos puderam ser apreciados por uma enchente de público que há muito não se registava neste evento. E alguns ficaram pelas madrugadas, a curtir a música de dança com os DJ Pete, Xau, Marisa e Andreia.

Os álbuns completos, com milhares de imagens, podem ser vistos abaixo.

 

“Rodas d’Aço” em tarde escaldante

A corrida de carros de rolamentos “Rodas d’Aço” é já um “ex libris” da festa de aniversário do CRG. Este ano, com cerca de meia centena de carros, centenas de corredores e milhares de assistentes, as três rampas da freguesia proporcionaram divertidos momentos de derrapagem, com apenas dois ou três ligeiros incidentes de percurso a gerar alguma apreensão e exigir tratamento.

Sublinha-se a criatividade de alguns concorrentes, com veículos que vão muito além de um simples carro de rolamentos para serem já verdadeiras obras de engenharia. Foi o caso do “comboio”, um veículo de 11 lugares construído há mais de uma década e que voltou em grande a esta edição. Chegou a deslizar com duas dezenas de pessoas em cima, qualquer coisa como uma tonelada e meia de peso, sem ter qualquer problema de direcção ou travagem. Épico.

Houve também obras de arte, como o carro cavalar apresentado e conduzido de pé por Joaquim Bagagem, a respeitar o tema da festa romana em curso.

Continuando a tradição dos últimos dois anos, houve pó colorido para ajudar à decoração dos corredores, que terminaram com sinais bem evidentes da participação. Alguns assistentes dedicaram-se à solidariedade, lavando o pó que os coitados dos pilotos traziam no corpo. Só não ficaram bem lavados porque passavam muito rápido e não dava tempo para o gel de banho…

Como a cerveja é coisa mais antiga do que os próprios romanos, é provável que tenha existido na ementa dos povos de Collippo. Na Golpilheira, sim, bebeu-se em grande quantidade nesta tarde escaldante de convívio e festa…

Veja as fotos abaixo.

Luís Miguel Ferraz

 

Ver fotos:

2017-07-14 Festa CRG – Collippo

 

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.