Missas com assembleia presencial regressam a 15 de março

Missas com assembleia presencial regressam a 15 de março

O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou hoje o regresso das celebrações públicas da Missa, a partir de 15 de março, mantendo a suspensão de procissões, incluindo o tradicional “compasso” da Páscoa.

“O Conselho Permanente refletiu sobre a situação atual da pandemia e decidiu que as celebrações da Eucaristia com a presença da assembleia sejam retomadas a partir do dia 15 de março”, refere uma nota do organismo, enviada à Agência ECCLESIA, no final da sua reunião mensal, que decorreu online.

A CEP pede que se evitem procissões e outras expressões da piedade popular, como as ‘visitas pascais’ e a ‘saída simbólica’ de cruzes, de modo a evitar “riscos para a saúde pública”.

O regresso das celebrações públicas, que tinham sido suspensas em janeiro, vão decorrer de acordo com as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa de 8 de maio de 2020 e “em consonância com as normas das autoridades de saúde”.

As mais de 80 indicações incluem normas para a higienização dos espaços, das pessoas e dos objetos de culto, a reserva de quatro metros quadrados para cada participante, o “obrigatório o uso de máscara” para todos e a adaptação de rituais litúrgicos para evitar o contacto físico, no contexto da pandemia.

“Quanto à celebração doutros sacramentos, observem-se as normas de segurança e de saúde referidas nas mesmas orientações”, acrescenta a CEP.

Os bispos recordam ainda que, a 17 de fevereiro, o Vaticano divulgou um conjunto de orientações para a celebração da Semana Santa em contexto de pandemia, à imagem do que aconteceu em 2020, assumindo a necessidade de “mudanças na forma habitual de celebrar a Liturgia”.

A próxima Assembleia Plenária do organismo episcopal, que decorre de 12 a 15 de abril, vai reavaliar estas orientações, “tendo em conta a situação de pandemia do país”.

Estado de Emergência continua até 31 de Março

Recordamos que o Parlamento aprovou a renovação do estado de emergência até 31 de março, para permitir medidas de contenção da Covid-19; o decreto foi assinado pelo presidente da República, na sequência desta aprovação. A Ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, afirmou durante o debate na Assembleia que “Portugal tem hoje condições para iniciar um processo de levantamento das medidas de confinamento”.

Nesse sentido, o primeiro ministro fez uma declaração ao País (ver vídeo na página da RTP), revelando alguns dos passos previstos e já aprovados para o desconfinamento gradual da população, nomeadamente, das escolas e dos vários sectores da economia. Poderá ver aqui o plano completo:

Fontes: AGÊNCIA ECCLESIA e RTP.PT

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.