>Sinistralidade e consequências no ano de 2007

>Sinistralidade e consequências no ano de 2007

>Evoluções parcialmente positivas

No ano de 2007, atingiram-se alguns dos objectivos traçados para a redução da sinistralidade, mas situam-se abaixo das metas previstas para o Plano Nacional de Prevenção Rodoviária para 2009. No total, foram registados 42.631 feridos leves, 3.090 feridos graves e 858 vítimas mortais. Com estes indicadores, o saldo é negativo na mortalidade, mas também no número de feridos, apesar de ter havido nestes últimos uma recuperação em 2007. De facto, comparando com o período homólogo de 2006, verifica-se uma recuperação positiva no número de feridos, mas um aumento no número de mortes. Assim, registaram-se menos 1.023 feridos leves, menos 393 feridos graves, mas um aumento de 8 vítimas mortais. De referir que, pela primeira vez, estes dados contemplam as regiões autónomas dos Açores e da Madeira. Desta forma, com as 30 mortes nestas regiões, conclui-se que os valores finais no continente apontam para a diminuição de 3 mortes face a 2006.
Portugal assumiu como meta para 2009 reduzir em 50% o número de feridos graves e mortos. Desde 2005, tem vindo a conseguir-se caminha para essa meta, sobretudo quanto aos feridos graves. Na nossa região, o Governo Civil de Leiria tem dinamizado campanhas de sensibilização, que têm alcançado resultados contraditórios. De facto, comparativamente a 2006, o distrito de Leiria apresentou em 2007 menos 183 feridos leves, menos 28 feridos graves, mas foram registadas mais 10 mortes.
Temos ainda muito caminho a fazer para a segurança nas nossas estradas ser uma realidade. E é uma tarefa que compete, sobretudo, a quem tem o volante nas mãos. Por isso, não se esqueça: “Vamos travar este drama”!

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.