>Desenvolvimento da criança

>Desenvolvimento da criança

>Estar informado das competências que a criança adquire ao longo do seu desenvolvimento é muito importante para estar alerta para possíveis desvios. Neste sentido, irei descrever as suas capacidades e as idades em que estas aparecem. É muito importante referir as idades são indicativas, podendo a criança não adquirir as capacidades nas idades indicadas. Todas as crianças devem ser acompanhadas com consultas frequentes no seu pediatra e qualquer dúvida pode esclarecer com o enfermeiro na altura das vacinas.
Durante o primeiro ano de vida, a criança constrói os alicerces da vida. Até aos três meses de idade, esta tranquiliza-se quando ouve uma voz e acompanha-a com movimento da cabeça. O choro torna-se diferenciado (dor, fome…), vocaliza para vozes familiares, balbucia e ri quando conversam com ele e demonstra interesse no ambiente circundante. Reconhece rostos e objectos familiares e apresenta o sorriso social em resposta a diferentes estímulos.
Aos 6 meses de vida, a criança acompanha visualmente um objecto que cai e prefere estímulos visuais mais complexos. Balbucia expressões semelhantes a monossílabos (ma, di, na, mô…) e esta vocalização modifica-se com o humor, dá gargalhadas e exige atenção fazendo barulho. Começa a demonstrar memória, ri para a sua imagem no espelho, descobre partes do corpo e apresenta frequentes alterações de humor com pouca ou nenhuma provocação.
Aos 9 meses, responde ao próprio nome, produz vocalizações de sílabas ligadas (bada, dada…) e responde a ordens verbais simples (compreende “não, não”). Repete várias sílabas ou sons de adultos e demonstra sinais de amedrontamento com a ausência da mãe. Tenta atrair a atenção dos outros tossindo e fungando, brinca às escondidas, demonstra agressividade oral (morde e faz “caretas”). Cresce o interesse em agradar à mãe e revela medo em ir para a cama e ficar sozinho.
Ao fim do primeiro ano de vida, a criança diferencia formas geométricas simples, acompanha movimentos rápidos de objectos e controla e adapta a sua resposta a um som. Diz duas ou mais palavras além de mamã e papá, compreende o significado de várias palavras e imita sons de animais. Inibe o seu comportamento ao ouvir ordens repressivas, repete acções que lhe atraiam a atenção e/ou sejam engraçadas e puxa a roupa dos outros para chamar a atenção. Demonstra emoções como ciúme, afecto, raiva e medo, diverte-se no ambiente familiar e explora o “exterior” afastado da mãe. Pode desenvolver o hábito de “cobertor de segurança” ou brinquedo favorito.
Ao fim do segundo ano de vida, consegue discriminar formas geométricas associando duas iguais, demonstra interesse acentuado e prolongado em figuras. Pede objectos apontando-os e indica objectos e/ou partes do corpo quando solicitado. Diz o seu primeiro nome referindo-se a si pelo próprio nome, verbaliza necessidade de comer, beber ou usar o bacio. Tem menos medo de estranhos e começa a ter consciência de propriedade. Consegue alimentar-se sozinho e imita actividades domésticas.
Todas as crianças têm a sua personalidade e, por isso, são diferentes na realização de actividades e na aquisição de competências. É fundamental manter estímulos variados (sonoros, visuais, tácteis, etc.) e despender tempo para ajudar o seu filho na maior aventura que ele pode ter: crescer.

Ana Maria Henriques
Enfermeira

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.