>Carnaval na Batalha

>Carnaval na Batalha

>”O Carnaval são três dias”, lá diz o ditado. Na Batalha foi só um, mas não deixou de ser bem concorrido, com muita animação a percorrer as ruas centrais da vila. O domingo soalheiro ajudou à festa, contrariando a tendência chuvosa dos últimos dois anos, fazendo com que alguns milhares de pessoas escolhessem uma saída de casa para esta tarde carnavalesca.
As escolas e jardins-de-infância deram o colorido mais infantil ao corso, enquanto algumas colectividades concelhias trouxeram o humor da sátira social e política, onde não faltaram assuntos tão actuais como o BPN, os cursos das “novas oportunidades, o TGV, o Freeport, e leituras da crise para todos os gostos.
Talvez pela crise, talvez não, este ano o CRG não foi em Carnavais. Quem também não desceu da serra foi o Colégio de S. Mamede, que costumava trazer muita criançada e respectivas famílias, mas que já o ano passado falhou por causa da chuva e este ano partiu à procura de novos públicos.
Recorrendo, sobretudo, à “prata da casa” e com alguns grupos convidados para dar música aos foliões, a Batalha não deixou de brincar e fazer divertir quem por cá passou. Talvez sem a grandiosidade de outras paragens e sem as caras famosas que levam “nota preta”… mas com boa disposição assegurada. E como todos tiveram prémio de participação, mais vale os tostões ficarem nos bolsos das associações participantes, que bem precisam deles.
A fechar, entrega de prémios e baile até ao final da tarde no pavilhão multi-usos. Para o melhor “grupo”, o rancho Rosas do Lena e os seus bonecos bailarinos. Para o melhor carro alegórico, o panelão das bruxarias dos Bombeiros Voluntários. Para todos, a nossa selecção de fotos…

Texto e fotos
Luís Miguel Ferraz

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.