>SimLis promoveu educação ambiental no Dia da Água

>SimLis promoveu educação ambiental no Dia da Água

>“Uma aventura na fábrica da água”
Foi com o objectivo de sensibilizar e educar as crianças para as questões ambientais que a SimLis realizou, no passado dia 22 de Março, na Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) das Olhalvas, em Leiria, algumas sessões da iniciativa “Uma aventura na fábrica da água”, com crianças do pré-escolar e do 1.º ciclo do concelho de Leiria.

O tratamento das águas residuais e a protecção dos recursos hídricos são preocupações constantes desta empresa intermunicipal, cujo principal objectivo é proporcionar às populações o usufruir dos rios com qualidade e biodiversidade. É nessa linha que se inserem estas acções de um Plano de Educação Ambiental que, desde há quatro anos, “vai passando às crianças essa informação e lhes oferece ferramentas para trabalharem o tema nas escolas”, afirmou Sandra Vieira, engenheira responsável pela iniciativa. Durante o ano de 2009, foram realizadas 297 acções nos cinco municípios que pertencem à área de intervenção da SimLis, num total de 130 estabelecimentos de ensino e 6770 participantes envolvidos. E este é um público-alvo, pois é nas crianças que se pode criar um novo espírito de intervenção e prevenção, de maneira a que no futuro se assegurem naturalmente as boas práticas ambientais. Para além de ser uma forma de fomentar o ensino experimental das ciências nas escolas e de aproximar as pessoas dos sistemas de saneamento e tratamento de águas residuais.

Também Gabriel Silva, administrador da SimLis, salientou a importância desta aposta, pois “as crianças são os melhores fiscalizadores dos adultos e exigem deles os bons exemplos”, sendo este um factor para os efeitos positivos esperados “nos adultos do futuro, com uma atitude diferente da que têm as actuais gerações”. Através de jogos pedagógicos e experiências práticas, a “Fábrica da Água” mostra como funciona o ciclo da água, pois “é assim que entendemos que a água é reutilizável, ou seja, a que bebemos hoje já terá sido bebida por outros seres humanos, milhares de vezes, desde há milénios”, lembrou o administrador. Só com os cursos de água limpos se fará esse processo de forma natural, “que é sempre melhor e muito menos dispendioso do que os processos artificiais que possamos utilizar”, frisou.

Uma das formas de motivar as crianças é mostrar-lhes imagens de bonitas paisagens ribeirinhas, “que despertem nelas o desejo de verem assim os seus rios, levando-as a serem mais exigentes e tornando-as mais disponíveis para não ceder nesse campo, evitando coisas tão simples como deitar cotonetes, papéis, fraldas ou outros elementos de poluição para os esgotos”, afirmou Gabriel Silva, concluindo que “com este serviço estamos a ir à geração que vale a pena”.

Plantas aromáticas

Num outro campo de acção, mas também como o objectivo de aproximar as pessoas de estruturas como as ETAR, nem sempre bem aceites em ambientes urbanos como é o caso das Olhalvas, a empresa vai acolher, no dia 17 de Abril, uma oficina de plantas aromáticas, chás e infusões. “Estamos de portas abertas a iniciativas como esta que, aparentemente não ligada ao tratamento de águas, poderá servir para mostrarmos o nosso trabalho no combate aos maus odores, assumindo alguns incómodos que uma ETAR possa causar, mas demonstrando que é natural e viável a sua presença nos locais onde há maior concentração urbana e, consequentemente, mais efluentes a tratar”, consideram os responsáveis da SimLis.

Luís Miguel Ferraz

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.