>164 – Energias renováveis .

>164 – Energias renováveis .

>Por  David Lucas, Engenheiro Civil

Biomassa

O que é a biomassa? Numa perspectiva mais teórica, traduz-se como sendo a massa total de organismos vivos numa determinada área, utilizados como combustíveis ou para a sua produção.

E de que forma podemos entender essa massa como uma fonte de energia? No sentido em que materiais como a madeira, algumas plantas e diversificados tipos de resíduos (animais, agrícolas, produção alimentar e sólidos municipais) podem gerar energia.

Reportando para a matéria mais comum, a madeira, verificamos que perfaz cerca de 64% do total das fontes de energia referidas anteriormente, e é uma substância facilmente transformável em energia (se a nossa lareira falasse…). É um exemplo que pode ser englobado na queima directa e que da sua combustão resultam materiais como o dióxido de carbono e vapor de água. Para além da forma directa de utilização da biomassa existem formas indirectas para produzir electricidade (gaseificação e pirólise), bio-combustíveis (tais como o etanol, metanol e biodiesel), biogás, e ainda pode se feita a valorização energética do solo através de excrementos de animais.

Dando como exemplo o biogás, verifica-se que a produção deste é feita recorrendo a bactérias que digerem anaerobicamente (sem consumo de oxigénio – óptimo!) os resíduos dos aterros sanitários, e que assim, produzem um gás facilmente inflamável (metano). Segundo o DN, Portugal irá investir nos próximos tempos em 16 centrais de produção de electricidade a partir de lixos (constitui um aumento de 40%), evitando assim a importação de 207 mil barris de petróleo e uma menor emissão de CO2.

Em jeito de remate final, pode dizer-se que este tipo de obtenção de energia tem como principais vantagens a redução da emissão de gases responsáveis pelo efeito de estufa e da utilização de metais pesados, bem como a rentabilização de matérias que em tempos antigos tinham um final inútil.

Na pesquisa sobre o assunto biomassa encontrei um conceito sonante e que desconhecia: briquetes. São obtidos por compactação a partir de matéria vegetal, resíduos agrícolas (vides, ramagens), etc. Constituem uma alternativa à lenha e carvão convencional.

Fontes: http://www.energiasrenovaveis.com/, http://campus.fct.unl.pt/; http://www.aream.pt/.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.