>Páscoa é a maior festa cristã

>Páscoa é a maior festa cristã

>Visita Pascal na Golpilheira no domingo 1 de Maio

Após o período de quarenta dias da Quaresma, chegamos à Páscoa, a maior festa da fé cristã. Celebramos a ressurreição de Jesus, que é o motivo da nossa alegria e da nossa esperança, o acontecimento que dá sentido a toda a nossa vida, precisamente porque nos apresenta um Deus vivo e sempre presente, depois de ter vencido a morte humana e o nosso pecado.

Na paróquia da Batalha, esta quadra é sempre vivida com intensidade. Ainda na sua preparação, é feito o convite à renovação espiritual e à conversão, especialmente na celebração do sacramento da Penitência. Mas também num maior investimento na formação cristã, na prática da oração e na participação no culto litúrgico. Mais especialmente ainda, no Tríduo Pascal, onde celebramos os três momentos da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

Na Quinta-Feira Santa, uma Via-Sacra encenada por um grupo de jovens, em redor do Mosteiro da Batalha, juntou algumas centenas de pessoas, que assim lembraram os passos do Salvador desde a sua condenação injusta até à sua morte na Cruz. No final, os presentes participaram na celebração da Eucaristia, onde se recorda de modo mais intenso a instituição deste sacramento, na Última Ceia. A cena do lava-pés foi também encenada, dando uma perspectiva mais visual a este gesto de humildade de Jesus, no exemplo que nos deu de serviço e entrega amorosa aos outros.

Na Sexta-Feira Santa, logo pela manhã, realizou-se a habitual Via-Sacra na nossa igreja da Golpilheira, com a participação de algumas crianças da catequese. À tarde, a tradicional procissão do “Enterro do Senhor” não saiu à rua por causa da chuva, mas a igreja do Mosteiro encheu-se de fiéis, celebrando a dor da morte de Cristo pelos pecados e erros dos homens. É uma celebração em que o silêncio tem um lugar de destaque, cortado pela voz intensa da Verónica, uma das mulheres que acompanhou Jesus no caminho do Calvário. Tal como Maria, a Mãe do Salvador, que acolheu no regaço o seu Filho morto.

Mas é o Sábado Santo a noite em que a Luz vence as trevas, em que a Vida vence a morte, em que tudo ganha sentido e a Ressurreição se afirma como a resposta e o caminho que Deus oferece à nossa dor. Esta vigília é a maior celebração da Igreja, em que toda a história da salvação se resume. A luz do círio pascal irrompe pelos templos, os aleluias ecoam, a água baptismal é abençoada e com ela se acolhem os novos cristãos. Todos os fiéis celebram a alegria da sua fé.

Esta mesma alegria irá prolongar-se no tempo, porque a Páscoa não é um dia, mas sim 50 dias, até ao Pentecostes, em que o Espírito Santo virá confirmar a Igreja de Cristo e ficar actuante nela para sempre.

O anúncio deste mistério irá ser feito, como habitual, por todos os lares que o desejarem acolher. A Visita Pascal é também uma tradição que se mantém na nossa paróquia, significando isso mesmo: Cristo Ressuscitado apresenta-se e quer ser acolhido na casa de cada família, no coração de cada um de nós. O programa será conforme o habitual, acontecendo na Golpilheira no próximo domingo, 1 de Maio.

Luís Miguel Ferraz

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.