D. António Marto apresenta Carta Pastoral para 2011-2012

D. António Marto apresenta Carta Pastoral para 2011-2012

“Testemunhas de Cristo no Mundo”

O Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, acaba de publicar a Carta Pastoral que será o documento orientador para o ano pastoral de 2011-2012. Na base da sua elaboração, foi escolhido o lema bíblico “Brilhe a vossa luz diante dos homens” (Mt 5, 16), no contexto do sermão das Bem-Aventuranças, ilustrado com o símbolo da “Luz de Cristo que os cristãos são chamados a levar ao coração do mundo com o testemunho da sua vida”.
Com o título “Testemunhas de Cristo no Mundo”, a Carta insere-se na dinâmica do Projecto Pastoral em curso na Diocese desde 2005, marcando o início do último biénio, todo ele dedicado ao tema geral da “missão da Igreja ao serviço da pessoa humana”. Neste último ano, em concreto, a proposta é centrada “no testemunho da caridade de Cristo através das obras de justiça, de promoção do desenvolvimento humano e de paz, ao serviço da dignidade da pessoa numa sociedade justa e fraterna”, como refere D. António Marto no início do documento. Para tal, aponta três objectivos a cumprir: “despertar nos cristãos a consciência da sua missão no mundo em ordem à evangelização e humanização das realidades temporais; promover uma espiritualidade e uma formação do compromisso cristão na sociedade; desenvolver o apostolado laical, pessoal e associado, nos diferentes âmbitos da vida”.
A Carta Pastoral começa por apontar alguns “desafios de hoje”, num mundo marcado por “uma certa cultura do desencanto, de crise de confiança na vida, na bondade da vida e do mundo”, onde o cristão é chamado a um “forte empenho da caridade em todas as suas dimensões, seja de proximidade seja social e política, para construir uma sociedade toda ela solidária em que todos demos as mãos para fazer face aos problemas maiores do desemprego, da pobreza e da doença”.
O segundo capítulo do documento é uma meditação sobre três passagens do Novo Testamento que ilustram como a missão cristã se funda no convite de Jesus aos discípulos a serem suas testemunhas no mundo. A primeira é a conclusão do Sermão das Bem-Aventuranças: “Brilhe a vossa luz diante dos homens” (Mt 5, 16). A segunda é a parábola de Jesus sobre o homem rico e o pobre Lázaro (cf. Lc 16, 19-31), “que interpela e sacode profundamente a consciência e a conduta social dos cristãos”. A terceira leva-nos ao ambiente de Atenas visitada por S. Paulo, ilustrando a importância do diálogo entre a fé e a cultura (cf. Act 17, 16-34). É à luz destes textos que o cristão deve compreender a sua presença no mundo: “A vocação dos cristãos é ser alma do mundo, estar dentro do mundo como o fermento no meio da massa”.

Orientações
A última parte da Carta Pastoral é dedicada às orientações práticas para o novo Ano Pastoral, lançando aos diocesanos o desafio a “assumir o rosto de uma presença e de um testemunho mais autêntico, mais decidido e comprometido”. Dividida em nove alíneas, pretende responder à questão: “Como tornar esta missão mais visível, mais concreta e mais significativa na sociedade de hoje?”
Em cada um dos pontos, D. António Marto apresenta os tópicos que considera mais importantes e as respectivas propostas de acção:

1. Para uma “vida espiritual de qualidade”, pede que “os promotores de conferências, retiros e outras acções proponham uma espiritualidade que ajude a viver a própria profissão e empenho na sociedade à luz e sob o impulso da fé cristã” e volta a propor o “Retiro para o Povo de Deus, durante a Quaresma, sob a forma da lectio divina.

2. Para a “qualidade do serviço ao mundo”, aponta a necessidade de “formação cristã de jovens e adultos” e propõe que “as escolas paroquiais ou vicariais da fé, os movimentos apostólicos e de espiritualidade e o Centro de Formação e Cultura incluam esta perspectiva nas suas propostas e actividades”.

3. Para que a Eucaristia seja “pão repartido para a vida do mundo”, recomenda “aos sacerdotes que tenham presente o tema deste ano pastoral nas homilias, as preparem bem e usem mais frequentemente a Oração Eucarística V/D do Missal Romano, intitulada Jesus passou fazendo o bem”.

4. Para o “serviço do Reino de Deus nos ambientes da vida social”, serão promovidos durante o ano, “a nível vicarial ou diocesano, encontros de cristãos de um ou outro sector socio-profissional, para mostrar como é possível estarem presentes nas mais diversas realidades seculares levando aí os valores do Evangelho”.

5. Para “promover a qualidade humana na vida da sociedade”, afirma que “as comunidades e instituições católicas deveriam tornar-se exemplares”.

6. Para o “empenho pelo bem comum” defende “uma séria educação para a socialidade e para a cidadania responsável”, sendo “salutar tomar iniciativas, neste sentido, a nível paroquial, vicarial ou diocesano, de oferecer encontros de sensibilização ou mesmo uma formação em breves módulos sobre a Doutrina Social da Igreja”.

7. Para o “diálogo entre fé e cultura”, propõe uma especial atenção a três sectores: a comunicação social, a educação e o património da história e arte.

8. Para promover a família como “principal recurso da sociedade”, desafia a Pastoral Familiar a trabalhar as dez catequeses elaboradas para o VII Encontro Mundial das Famílias Católicas, sobre o tema “A Família: o trabalho e a festa”, a decorrer em Milão, de 30 de Maio a 3 de Junho.

9. Para viver a mensagem mariana de Fátima como promotora desta “civilização do Amor e da Paz”, pede que todos se associem “espiritualmente ao lema do Santuário para este ano” e refere a peregrinação diocesana, no 5.º Domingo da Quaresma, como momento especial para nos ajudar a “acolher o convite de Maria e a corresponder-lhe tornando-nos construtores de relações de paz, promovendo a reconciliação e a justiça e empenhando-nos na defesa do bem comum e da solidariedade”.

Assembleia
A Carta Pastoral será oficialmente apresentada pelo Bispo D. António Marto, na tarde do domingo 2 de Outubro, na habitual Assembleia Diocesana que marca o início de cada ano pastoral. Para este encontro, onde o Prelado terá oportunidade de desenvolver o conteúdo do documento, são convidados todos os fiéis de Leiria-Fátima, em particular os que mais directamente estão envolvidos na dinamização pastoral das comunidades, movimentos e instituições da Diocese.
Entretanto, estará também à venda na loja da Gráfica de Leiria, no centro da cidade, e em algumas outras livrarias religiosas.

Luís Miguel Ferraz
Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.