Câmara e Assembleia Municipal iniciam trabalhos: Raul Castro quer “falar menos e fazer mais”

Câmara e Assembleia Municipal iniciam trabalhos: Raul Castro quer “falar menos e fazer mais”

Já estão empossados e em funções os eleitos no passado dia 26 de Setembro para a Câmara e a Assembleia Municipal da Batalha. A sessão de tomada de posse aconteceu na manhã de sábado 16 de Outubro, num auditório municipal repleto de autarcas e outros munícipes.

Palavras de despedida

Na ocasião, o presidente da Assembleia cessante, Júlio Órfão, considerou ter desempenhado essa função com “muita honra” e agradeceu a todos os que para isso o ajudaram. Defendendo que este órgão deveria ter um poder mais efectivo na condução das políticas municipais, afirmou ter feito “o melhor que sabia para o dignificar e pelo bem do Concelho”, desejando profícuo trabalho aos que agora iniciam o mandato.

Júlio Órfão deixar Assembleia Municipal com “honra”

Outra intervenção foi a do ex-presidente de Câmara, Paulo Batista Santos, que começou por desejar os “maiores sucessos” aos novos autarcas, pedir desculpa pelas “falhas” e agradecer “a honra que os batalhenses me deram em partilhar convosco o desiderato de construirmos um Município mais forte e credível”. Defendendo que “só a história julgará com a objectividade e a distância temporal indispensáveis a acção de cada um de nós enquanto agente político”, disse não querer “fazer balanços” e destacou apenas algumas das frentes em que se empenhou, com destaque para a resposta “aos legítimos anseios das populações” na situação de pandemia que vivemos nos últimos dois anos. Refutando as “críticas” e “julgamento negativo” de que foi alvo, afirmou ter tido como única motivação “servir o Concelho” e desejar agora “iniciar uma nova etapa”, pelo que, embora “disponível para colaborar”, irá “dar lugar aos outros, através suspensão do mandato em articulação com os demais vereadores eleitos, por forma que todos possam contribuir para a gestão municipal”.

Paulo Batista Santos vai suspender mandato de vereador

Novo ciclo de “proximidade”

A palavra final coube ao novo presidente de Câmara, Raul Castro, que recebeu uma entusiástica ovação do auditório ao pronunciar a primeira frase: “queremos falar menos e fazer mais”. Essa foi uma das tónicas do seu discurso, apontando o desejo de trabalhar para um “atendimento mais célere” na autarquia e para a resposta eficaz aos anseios da população e das instituições, “tendo como única bandeira a Batalha” e o “bem-estar de todos” os seus cidadãos. Para tal, conta, em primeiro lugar, com a ajuda e o empenho dos funcionários da autarquia, que quer “estimar” e valorizar: “quero acreditar que todos vão conseguir ir mais além”.

Outra tónica foi a da “proximidade e colaboração”, na linha do surgimento do movimento independente “Batalha é de Todos”, que “veio de baixo para cima, das pessoas, empresas e instituições da comunidade”. Certo de que “sozinhos não vamos chegar a lado nenhum”, defendeu uma política de “parcerias com todos os sectores, das pessoas às associações e às empresas”. Com “disponibilidade para acolher, contamos com a colaboração de todos”, disse.

“Sem prometer muito, prometemos dar o melhor de nós”, concluiu Raul Castro, pedindo alguma “tolerância de tempo” para realizar as mudanças “que não se fazem de um dia para o outro”.

Raul Castro promete parcerias com todos e pede tempo

Os novos autarcas

O executivo municipal é formado pelo presidente (Raul Castro) e mais três vereadores do “Batalha é de Todos” – Movimento Independente (BTMI) (Carlos Agostinho Monteiro, Mónica Cardoso e Maribela Vieira) e três vereadores do PSD (André Loureiro, Ana Rita Calmeiro e Paulo Batista Santos, que irá pedir suspensão de mandato e ser substituído por outro elemento da sua lista).

A Assembleia Municipal é composta por 10 membros do BTMI (Joaquim Ruivo, Armando Rosa, Célia Cadima, José Filipe, Elsa Libânio, Octávio Vilaça, Telmo Ferreira, Lina Oliveira, Valter Cardoso e Arlindo Marques), 8 membros do PSD (Alfredo Matos, Sónia Costa, Germano Pragosa, Nuno Santos, Catarina Bagagem, Fernando Marques, Carlos Santos e Elodie Zeferino), um membro do CDS (Francisco Coutinho), um elemento do Chega (Eduardo Veiga) e um elemento da Iniciativa Liberal (Ricardo Vala). A estes juntam-se os 4 presidentes de Junta: Fernando Oliveira (Batalha/BTMI), António Lucas (Reguengo do Fetal/BTMI), Marco Vieira (São Mamede/PSD) e José Carlos Ferraz (Golpilheira/BTMI).

Na primeira sessão da Assembleia Municipal, realizada logo após a tomada de posse, foi eleita a Mesa, com aprovação da única lista apresentada por 16 votos a favor e 8 em branco. A Mesa da Assembleia será presidida por Joaquim Ruivo, com Elsa Libânio como primeira secretária e Germano Pragosa como segundo secretário. O novo presidente desejou a todos um bom mandato e fez votos de que esta “casa da democracia” municipal se torne uma “força de intervenção em prol do desenvolvimento do Concelho e do bem-estar de todos os munícipes”.

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.