Almoço juntou 250 amigos e fez-se a homenagem ao Manuel Carreira Rito e ao Jornal da Golpilheira

Almoço juntou 250 amigos e fez-se a homenagem ao Manuel Carreira Rito e ao Jornal da Golpilheira

Mês cultural só durou um dia (por causa da Covid)

O programa era vasto, intenso e variado, ocupando todo o mês de Novembro. O arranque, com o Almoço dos Amigos do CRG, no dia 7, foi auspicioso pela forma como mobilizou a população e como decorreu. No entanto, o agravamento da pandemia atingiu em força a nossa freguesia, afectando muitas famílias ao ponto de ter fechado as escolas locais por alguns dias. Tendo em conta esse facto, as actividades foram sendo canceladas uma após outra, até ter ficado tudo adiado para melhor oportunidade. E o mês cultural ficou, assim, reduzido a um dia.
Mas foi um dia cheio. À mesa juntaram-se cerca de 250 amigos da colectividade, numa tarde que foi marcada pela celebração dos 25 anos do Jornal da Golpilheira e, sobretudo, pela homenagem póstuma a Manuel Carreira Rito, um verdadeiro rosto da associação, do Jornal e da Golpilheira em geral, falecido em Junho de 2020.

Contando com a presença de representantes de todas as forças vivas locais, nomeadamente, a Câmara Municipal da Batalha e a Junta de Freguesia da Golpilheira, o almoço significava o “retomar das actividades pós-pandemia”, como sublinhou o presidente da colectividade, Fernando Ferreira. Sublinhando a “saudade” que esta casa já tinha destes eventos, que são a melhor expressão do seu dinamismo, essa foi a ligação que usou para recordar o homenageado deste encontro, “um amigo sempre presente, um trabalhador incansável e alguém sempre atento às necessidades da associação e dos golpilheirenses”.
O momento protocolar contou com as intervenções de Carlos Monteiro, presidente da Assembleia Geral do CRG, António Lucas, ex-presidente da Câmara e amigo especial do Centro, José Carlos Ferraz, presidente da Junta de Freguesia da Golpilheira, e Raul Castro, presidente da Câmara Municipal. Todos sublinharam o papel que Manuel Rito teve na vida associativa, cultural, desportiva e social da sua terra e do Concelho da Batalha em geral, sempre com entusiasmo, intervenção activa e atenta em prol do desenvolvimento local. Um “homem bom”, sempre disponível para todas as tarefas, desde as directivas às mais serviçais, cuja memória se resume em palavras como “amizade”, “saudade” e “gratidão”.
No final, foi descerrada a imagem em azulejo que ficará a perpetuar a sua presença no Quadro de Honra do salão de festas da associação. A Junta de Freguesia ofereceu, ainda, à família uma lembrança em homenagem a este golpilheirense e houve ainda alguns testemunhos de gratidão, como foi o caso do director do rancho “As Lavadeiras do Vale do Lena”, Manuel Rito Ferraz, e da passagem de uma apresentação de fotografias e vídeos do Manuel Rito, preparada pela direcção do CRG.
Por fim, foi recordada a efeméride dos 25 anos do Jornal da Golpilheira, em estreita ligação com esta homenagem àquele que foi seu director-adjunto desde a edição n.º 100, em Setembro de 2005. Coube ao director, Luís Miguel Ferraz, fazer uma breve memória destes 25 anos e do que significam estas Bodas de Prata, cujo conteúdo resumimos na página seguinte.
Como diria o Manuel Rito, “a vida continua”; e foi essa vida que se celebrou, cantando os parabéns ao Jornal e, sopradas as velas, distribuindo o bolo de aniversário por todos os presentes. Assim se encerrou uma tarde intensa, plena de significado, em que a amizade e a gratidão foram as forças que mais uniram todos os presentes, me torno das causas comuns que esta associação representa na nossa terra.

Discurso nos 25 anos de Jornal da Golpilheira

Bodas de Prata são motivo de orgulho e gratidão

No editorial da passada edição, iniciámos a apresentação do que significa celebrar 25 anos de Jornal da Golpilheira. No discurso das Bodas de Prata, no Almoço dos Amigos do CRG, no passado dia 7 de Novembro, retomámos parte dessas palavras e desenvolvemos algumas outras ideias, que passamos a resumir.
Tudo começou, lembramos, com a “loucura” que foi fundar o jornal “Das Duasuma” para as freguesias da Golpilheira e da Barreira, em Setembro de 1996, e depois de decidir tornar o projecto independente, só para a nossa freguesia, com o nome de Jornal da Golpilheira, em Janeiro de 2001. Apesar de muitos avisos de que seria difícil manter tal projecto, pelo demasiado esforço que exigia e pouco retorno que trazia, o segredo destes anos foi o carinho e o incentivo dos assinantes e anunciantes que nunca desistiram de nos apoiar.
Para trás ficam 269 edições deste jornal e mais de 7 mil páginas escritas com histórias e a História desta comunidade e da vida que à volta dela gravita. Se não servir para mais nada, servirá, pelo menos, para esse repositório de memória. Saber o que aconteceu antes de 1996 na Golpilheira, não é fácil. Um ou outro texto perdido na imprensa regional, uma ou outra fotografia guardada nas colecções familiares, um ou outro documento recolhido em arquivos dispersos. Saber o que aconteceu aqui depois de 1996 é bastante fácil… basta folhear este jornal, com colecção completa na biblioteca municipal e no Centro Recreativo e – quem sabe – na casa de algum assinante que as tenha guardado todas.
Só como exemplo, tiramos 25 histórias, uma de cada um destes 25 anos:
1996 – Fundação do jornal “Das Duasuma”, futuro Jornal da Golpilheira
1997 – Início da construção da Extensão de Saúde, que seria inaugurada no ano seguinte
1998 – CR Golpilheira é campeão da II Divisão Distrital de Futebol 11
1999 – CRG compra 12.000 m2 de terrenos para ampliar a sede
2000 – 500 anos da Vila e Concelho da Batalha assinalado com presença do Presidente da República
2001 – Jornal “Das Duasuma” dá lugar ao Jornal da Golpilheira
2002 – Destilaria da freguesia fechou por ordem do Ministério da Economia
2003 – CRG inaugura Restaurante Etnográfico
2004 – CRG apresenta nova orquestra ligeira “Swing Golp Jazz”
2005 – Jardim-de-Infância da Golpilheira é inaugurado
2006 – A Golpilheira perde a “Farmácia” e ganha “Ambulância de Medicamentos”
2007 – Jornal da Golpilheira organiza um grande debate sobre a Lei do Aborto
2008 – Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima visitou a Golpilheira
2009 – Inauguração do novo edifício da Junta, em ano de Bodas de Prata da freguesia
2010 – Jornal da Golpilheira apresenta livro “Golpilheira Medieval – Documentos Históricos”, assinalando as Bodas de Prata da criação da freguesia
2011 – Museu da Comunidade Concelhia da Batalha é inaugurado pelo Presidente da República (estátua do magistrado de Collippo, da Golpilheira, está no centro)
2012 – Paróquia da Batalha, a que pertence a Golpilheira, celebra 500 anos
2013 – Inauguração do Pavilhão Desportivo da Golpilheira
2014 – Golpilheira é a 1.ª Campeã Nacional de Futsal Feminino de sempre
2015 – É oficialmente constituída a Comunidade Cristã da Golpilheira e iniciam-se as obras de remodelação radical da Igreja
2016 – Bispo diocesano reinaugura a Igreja de Nossa Senhora de Fátima, completamente remodelada
2017 – Padre missionário golpilheirense João da Felícia festeja bodas de ouro sacerdotais na sua terra natal
2018 – Jornal da Golpilheira passa a bimestral em formato de revista
2019 – Centro Recreativo da Golpilheira comemora 50 anos de fundação
2020 – Manuel Carreira Rito, director-adjunto do jornal, falece aos 62 anos…

A festa é de leitores e anunciantes

O jornal que temos neste momento orgulha-nos. Não são muitas as freguesias pelo país, para mais com a dimensão da nossa, que têm um órgão de informação com esta qualidade gráfica e de conteúdos. Não somos nós quem o diz, são os leitores, sobretudo os de fora da freguesia. E o espanto é maior quando dizemos, por exemplo, aos jornalistas que nos enviam currículos para vir trabalhar para o jornal, que este não tem profissionais contratados, mas é feito apenas por voluntários – e poucos – nos seus tempos livres, às noitadas e fins de semana. E como se paga? Convido-vos a ver os anúncios: não são anunciantes, são amigos, pessoas e empresas que apreciam o Jornal e fazem um verdadeiro mecenato cultural, apoiando financeiramente cada edição. Sem eles, teria sido impossível termos chegado aos 25 anos; e alguns deles estão ali desde a primeira edição! Se os leitores quiserem agradecer-lhes, é irem ver quem são essas empresas e tornarem-se seus clientes.
Este último ano de caminhada para as “Bodas de Prata” deveria ter sido de festa. A pandemia e outros condicionantes não deixaram. O falecimento precoce do nosso director-adjunto, o saudoso Manuel Rito, em Junho do ano passado, foi um dos que mais nos abalou, nos desmotivou e nos tirou a vontade de festejar… sem o Manuel, este jornal não teria sido o que foi; sem o Manel, este jornal já não é e nunca mais será o que foi. O seu amor à Golpilheira fez deste jornal uma verdadeira história de amor à Golpilheira. E era sobretudo por isso que o amava e com tanto gosto escreveu para ele centenas de textos e tirou para ele milhares e milhares de fotos. Posso dizer que quem não conheceu o Manel pode ficar a conhecê-lo ao ler o que aqui publicou. Na edição 262 dedicámos-lhe uma longa memória; o mesmo memorial está publicado em permanência no nosso site.
Dizia que não tivemos oportunidade nem vontade de fazer festa, mas nunca é tarde para celebrar e é isso que contamos fazer durante este próximo ano, já com os 25 completos. Este almoço a que nos associámos é o primeiro desses momentos festivos. Contamos organizar uma sessão cultural por ocasião do segundo aniversário da morte do Manuel Rito, em Junho de 2022, com apresentação de um livro sobre a história da Golpilheira, onde não faltarão textos por ele escritos, entre autores como o historiador Saul Gomes e o investigador Joaquim Santos.
Nas edições dos próximos meses iremos, ainda, apresentar algumas rubricas que nos ajudarão a recordar a história e o caminho feito pelo Jornal e, principalmente, pela Golpilheira.
A principal festa, no entanto, será a que cada um dos nossos leitores possa fazer ao receber cada edição do jornal em sua casa. Só essa interessa. E só quando essa acabar – ou quando nos faltar a força ou o engenho – poderemos dar por terminada esta nossa história, para já, com 25 anos completos.
É a eles, aos leitores, assinantes e anunciantes que queremos brindar, que vos convidamos a brindar, no final deste almoço, quando soprarmos as velas do bolo que comemora os 25 anos de Jornal da Golpilheira! Pois são eles, muitos deles aqui presentes, que estão de parabéns!
A todos vós o nosso muito obrigado!

Luís Miguel Ferraz

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.