170 – Beleza & bem-estar

170 – Beleza & bem-estar

Por Carina Pereira, Terapeuta de Massagem

PUB
Ad 13
Drenagem Linfática Manual e o Pós-Operatório
O nosso corpo, como as árvores, as folhas e os animais, é percorrido por um líquido incolor e transparente que, contido nos vasos linfáticos, tem a função de filtrar as impurezas do sangue.
Quando a circulação linfática diminui ou se interrompe, o material a ser descartado fica estagnado em algumas zonas do corpo, causando inchaços dolorosos e inflamações, como a celulite e os edemas pós-operatórios.
Nestes e noutros casos, a Drenagem Linfática Manual actua como descongestionante, com quatro funções básicas: além de desintoxicar, contribui para a eliminação de líquidos, activa o sistema imunológico e funciona também como analgésico. Após cirurgias plásticas, alivia hematomas e inchaços. Auxilia no tratamento da celulite, cujo acumulo se deve à falta de movimentos locais, que provoca a estagnação da linfa nas células de gordura.
Para realizar a Drenagem Linfática, o profissional percorre todo o corpo (por inteiro ou áreas específicas) com as palmas das mãos e pontas de dedos em toques bastante suaves, movimentando a linfa em direcção aos gânglios. As toxinas são libertadas através dos rins.
A verdadeira Drenagem Linfática Manual consegue acelerar as reacções próprias do organismo sem alterá-las. Isto é possível graças a uma técnica especial, que consiste em manobras manuais próprias, que são movimentos precisos e monótonos e que têm pressões graduadas e constantemente alteradas, imitando as contracções da musculatura lisa dos vasos linfáticos e acompanhando o ritmo dos mesmos.
Há que se diferenciar a Drenagem Linfática Manual da Massagem Estética. Esta última é realizada com pressões muito fortes, o que acarreta a interrupção da circulação linfática, pois os vasos linfáticos não suportam tamanha pressão.
A importância da Drenagem Linfática no Pós-Operatório
A drenagem linfática no pós-operatório é uma massagem específica realizada com movimentos suaves e lentos por todo o corpo, dando prioridade à área cirúrgica. São usados movimentos de compressão e descompressão, executando movimentos leves e lentos, o que direcciona e melhora o fluxo linfático.
A drenagem linfática pós-operatória é completamente indolor, promove relaxamento muscular, melhora a circulação sanguínea eliminando toxinas e diminuindo a retenção hídrica (inchaço), além de activar a oxigenação celular e a nutrição dos tecidos. Os movimentos suaves e rítmicos da drenagem ajudam a eliminar o edema e hematomas que se instalam no pós-operatório, auxiliando na restauração dos tecidos, eliminando aderências, diminuindo dor, aliviando desconfortos e outras consequências cirúrgicas.
Por funcionar e por ser indolor a drenagem linfática, está indicada e medicamente aconselhada em pós-operatório de cirurgias plásticas faciais e corporais, reconstruções mamárias, escleroterapias (secagem de derrames), entre outros.
Aconselhamento terapêutico: no mínimo 10 sessões, com frequência de duas a três vezes por semana.
Fonte: www.informacaonutricional.net

Partilhar/enviar/imprimir esta notícia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.